ALFREDO RISK/ARQUIVO TRIBUNA

Os preços dos combustíveis subiram nas unidades produto­ras na semana passada, tanto o da gasolina, quanto o do etanol. O último reajuste no litro do derivado de petróleo ocorreu em 6 de fevereiro, quando a Pe­trobras anunciou alta de 0,59% no litro do produto sem tributo e sem mistura nas refinarias, que agora vale R$ 1,5079. Des­de então, a petrolífera manteve o valor inalterado. No último sábado (9), anunciou corte de 0,96% para o diesel, que agora sai por R$ 2,0005.

Nos postos bandeirados da cidade, o litro da gasolina custa, em média, entre R$ 4 (R$ 3,998) e R$ 4,30 (R$ 4,299), mas há es­tabelecimentos que cobram R$ 4,40 (R$ 4,399). Nos sem-ban­deira, o derivado de petróleo está mais barato e agora é vendi­do por custa R$ 3,76 (R$ 3,759), cerca de 1,8% abaixo dos R$ 3,83 (R$ 3,829) cobrados anterior­mente, desconto de R$ 0,07. Há estabelecimentos que cobram R$ 3,90 (ou R$ 3,899).

A média do óleo diesel nos franqueados da cidade é de R$ 3,50 (ou R$ 3,499), mas há es­tabelecimentos cobrando R$ 3,40 (cerca de R$ 3,398). Nos independentes, a média é de R$ 3,16 (R$ 3,159), mas há lo­cais onde custa R$ R$ 3,10 (R$ 3,099). O consumidor deve pesquisar porque tanto alguns bandeirados quanto sem-ban­deira praticam valores diferen­tes, para cima e para baixo.

Segundo o mais recente es­tudo semanal da Agência Na­cional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), rea­lizado entre os dias 3 e 9 de feve­reiro em 108 cidades paulistas, o preço médio da gasolina em Ribeirão Preto é de R$ 3,966, mesmo valor praticado até dia 2 e 3,2% inferior ao praticado até dia 26, de R$ 4,100, descon­to de R$ 0,134. O litro do diesel custa cerca de R$ 3,221, 2,9% abaixo dos R$ 3,319 do início do mês, segundo a agência, desconto de R$ 0,098.

Com a entressafra, o preço do etanol disparou nas usinas paulistas, segundo estudo do Centro de Pesquisas Econômi­cas (Cepea) da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq) – vinculada à Univer­sidade de São Paulo (USP) –, realizado entre o dia 1º e 8 de fevereiro. O litro do hidratado aumentou 3,74% nas unidades produtoras do estado, de R$ 1,5231 para R$ 1,5800. Já o do álcool anidro – adicionado à ga­solina em 25% – baixou 2,07%, de R$ R$ 1,7335 para R$ 1,6976.

Segundo o último estudo semanal da ANP, o etanol ri­beirão-pretano está 0,58% mais barato. Caiu de R$ 2,552 no dia 2 para R$ 2,537 na semana passada, desconto de R$ 0,015. Nos postos bandeirados de Ri­beirão Preto, caiu para R$ 2,50 (R$ 2,497), recuo de 7,4% e aba­timento de R$ 0,20 em relação ao preço médio de R$ 2,70 (R$ 2,697) cobrado anteriormente – há locais onde o litro sai por R$ 2,80 (R$ 2,799). Nos sem-ban­deira, também houve queda de 4,8%, de R$ 2,48 (R$ 2,479) em, média para R$ 2,36 (R$ 2,359), desconto de R$ 0,12. Há locais que vendem o álcool por R$ 2,35 (R$ 2,349).

Considerando os valores médios de R$ 2,50 para o etanol e R$ 4 para gasolina nos bandei­rados e de R$ 2,36 e R$ 3,76 nos sem-bandeira, respectivamente, ainda é mais vantajoso abastecer com álcool, já que a paridade está entre 62,5% e 62,7% – deixa de ser vantagem encher o tan­que com o derivado da cana-de -açúcar a relação chega a 70%. Se a base for os preços da ANP, de R$ 2,537 para o etanol e R$ 3,966 para a gasolina, a paridade está em 63,9%. Há postos que oferecem descontos que podem chegar a R$ 0,05 no caso do ál­cool e mais de R$ 0,10 na gasoli­na para pagamento em dinheiro.

Comentários