Ferraz diz que só quer salário após jogo

0
24
IVAN STORTI

O lateral-direito Victor Fer­raz fez um desabafo nesta sexta-feira durante entrevista coletiva no CT Rei Pelé. O capitão do Santos rebateu as insinuações feitas nas redes sociais de que a equipe não estaria se esforçando por causa do não pagamento do salário de fevereiro, que deveria ter sido pago no início de março, além de dois meses de imagem.

“Responderei como capitão, não só como um lateral ou um jogador qualquer. A falta de paga­mento de salário influencia zero. É muito legal eu passar isso aqui para quem é torcedor e amante do futebol. Não tem nenhum tipo de influência o salário atrasado ou não. Claro que queremos receber o dinheiro que a gente combinou e tenho certeza que vai chegar em nossa mão”, dis­se o jogador, assegurando que o elenco está “fechado”

“A diretoria tem corrido atrás, tem nos dado prazo, res­paldo, tido um cuidado com a gente. O Gabriel (Andreata, ge­rente de futebol) tem falado co­migo, com os líderes do elenco. A responsabilidade das últimas derrotas é nossa, dos jogadores e da comissão técnica. Assim como toda boa fase a responsa­bilidade é nossa também.”

Victor Ferraz afirmou que até torce para que o dinheiro não seja creditado até o momento do jogo com o Red Bull Brasil, neste sába­do, às 19h30, no Pacaembu, no primeiro duelo das quartas de fi­nal do Campeonato Paulista, para que a conquista de um resultado positivo não seja vinculado ao pa­gamento dos atrasados

“Eu estou torcendo para que a diretoria não pague até amanhã para, se a gente vencer o Red Bull amanhã, os caras não falarem: ‘Foi só pagar e ganharam o jogo’. Estou sendo sincero, não gostaria de re­ceber até amanhã, independente­mente de a gente ganhar ou não. Podermos vencer sem receber os salários. Uma coisa que eu não sou é mercenário.”

O Santos não faz gol no Pau­listão há três rodadas. Após o em­pate sem gols com o Corinthians, o time perdeu para o Novorizon­tino, por 1 a 0, no Pacaembu, e foi goleado pelo Botafogo, em Ribei­rão Preto, por 4 a 0, na quarta-fei­ra. “Veio a calhar, com uma coin­cidência horrível, de que os três últimos jogos a gente não ganhou. E aí, nessa época de redes sociais, fica se falando ‘Ah, é porque não pagou'”, afirmou um dos jogado­res mais experientes do atual gru­po do Santos.

Comentários