Festival – RIRbeirão será no final de janeiro

0
30

O Festival de Humor RIR­beirão promete levar o público da região às gargalhadas. De 28 a 31 de janeiro (de quinta-feira a domingo), o evento reunirá, no palco do Teatro Municipal de Ribeirão Preto, cinco artistas consagrados nacionalmente e 15 novatos que farão as apresenta­ções de abertura.

Serão quatro noites de festi­val e, em cada uma delas, um ar­tista consagrado nacionalmente fará um show de humor com uma hora de duração. Será pre­cedido das apresentações de cin­co novos humoristas do Estado de São Paulo e, preferencialmen­te, de Ribeirão Preto e região, nos estilos stand-up comedy, performance ou personagens.

Cada um fará uma apresen­tação de no máximo cinco mi­nutos. Ao final da noite, o públi­co presente escolherá o melhor dos novatos, na quinta (28), sexta-feira (29) e sábado (30). No domingo (31), encerrando o festival, os três selecionados se apresentarão novamente e um será escolhido. Será concedido um troféu de Melhor Humorista de Ribeirão Preto.

Em relação aos novos artis­tas, a intenção é um processo seletivo, por meio de, cadastra­mento e escolha de humoristas do Estado de São Paulo. Será formada uma comissão curado­ra para definir os critérios para participação e inscrição dos humoristas, assim como para a seleção dos comediantes.

Essa mesma comissão irá julgar as propostas e será com­posta pelos realizadores, um representante da Secretaria Mu­nicipal da Cultura, um represen­tante do Movimento Teatreiros de Ribeirão Preto e um repre­sentante das entidades culturais de Ribeirão Preto, cujo foco de atuação seja artes cênicas.

Na quinta-feira (28), as atrações principais são Júnior Chicó, com o show “Quebran­do o armário”, e Bruno Motta com “Stand-Up Comedy”. Na sexta-feira (29), será a vez de Dihh Lopes com o solo “Eu po­deria ter ficado quieto”. O casal Sr. e Sra. Maloka estará no Mu­nicipal no sábado (30), com o espetáculo “Quem mandou casar?”. O músico e comedian­te Fabiano Cambota vai fechar o festival no domingo (31), com o stand-up comedy “De Cambota para Fabiano”.

O Festival de Humor RIR­beirão é uma estratégia para divulgação de novos artistas e também para formar públi­co para os shows de comédia. De quinta-feira a sábado, as apresentações terão início às 20 horas e, no domingo, às 19 horas. Os ingressos custam R$ 60 e R$ 30 (meia-entrada) e, no domingo, os preços sobem paras R$ 70 e R$ 35, segundo os organizadores do Festival de Humor RIRbeirão.

A meia-entrada vale para estudantes e professores de escolas públicas e particulares (mediante apresentação de do­cumento comprobatório como carteirinha da instituição, bo­leto de mensalidade ou hole­rite), aposentados (com do­cumento específico) e idosos acima de 60 anos (com cédula de identidade, o RG).

Os ingressos estão à ven­da apenas no site do Mega Bi­lheteria (www.megabilheteria. com). O Teatro Municipal fica na praça Alto do São Bento s/ nº, Jardim Mosteiro. Para com­pra online há taxa de serviço. O local tem capacidade para rece­ber 515 pessoas, mas receberá no máximo 206 por causa dos protocolos de prevenção da co­vid-19, que permite até 40% do previsto em alvará – o estaciona­mento tem 40 vagas.

O quadro pode mudar se a região avançar no Plano São Paulo, A reclassificação será anunciada em 4 de janeiro. Mais informações pelos tele­fones (16) 3625-6841. Os espe­táculos não são recomendados para menores de 14 anos. O Teatro Municipal retomou as atividades depois de meses fe­chado por causa da pandemia do novo coronavírus. Vai man­ter o limite máximo de ocupa­ção de 40% da capacidade. O uso de máscara é obrigatório.

Os assentos devem ser mar­cados respeitando a distância segura entre pessoas que não são da mesma família. O inter­valo está suspenso. Também está proibida a participação do público nos palcos e fotos com artistas. Os espaços devem ser higienizados entre uma sessão e outra. A situação é semelhante para os museus, centros cultu­rais e bibliotecas.

As principais atrações do Festival RIRbeirão
Júnior Chicó
Em seu show solo de stand-up comedy, “Quebrando o armá­rio”, Júnior Chicó fala sobre as diferentes reações dos amigos e familiares diante da sua “saída do armário” e o impacto na sua vida pessoal e trabalho ao se as­sumir gay com orgulho e muito bom humor.

Começou a fazer stand-up no Rio de Janeiro em 2010, em ba­res e em eventos corporativos. Participou do grupo Comedia Em Pé integrando o elenco por uma temporada e participando do quadro “Comédia em Pé News”.

Entre 2015 e 2016 integrou o elenco da comédia “Terapia do Riso”, onde apresentava diferen­tes personagens. Em julho de 2017 participou do Prêmio Mul­tishow de Humor, como um dos destaques da sexta temporada.

Bruno Motta
Bruno Motta é um dos mais pre­miados humoristas da sua gera­ção e fenômeno na internet com mais de 40 milhões de acessos. Em sua carreira foi redator de humor da Globo, comentarista de humor na bancada do Jornal da Record News e Notícias da Manhã (SBT) e um dos autores do sucesso Furo MTV, onde tam­bém foi repórter e colunista.
Na internet, criou e apresentou projetos como o Falha Deles (IG) e Diário Semanal (Youtube), além de ser um dos principais apresentadores do “Improvável”. Esteve no elenco do último ano do Pânico na Band, principal­mente nos quadros “Ta No Lar” e “MasterTrash”.

Estrela o programa “1 Milhão de Anos em 1 Hora”, versão brasileira da montagem da Broadway de “Long Story Short”, de Jerry Seinfeld. Tem passa­gens memoráveis por programas como “Altas Horas”, “Fantásti­co”, “Ana Hickman”, “Show do Tom”, “Agora é Tarde” e “The Noite” e várias participações no “Programa do Jô”, onde sempre foi extensamente elogiado pelo apresentador.

Dihh Lopes
Em seu novo show solo, “Eu poderia ter ficado quieto”, Dihh Lopes aborda temas sensíveis, tabus, polêmicas e processos envolvendo seu nome. O come­diante também fala das dificul­dades que ele encontra em não fazer piadas durante momentos delicados.

Este é o seu quarto show solo e nele percebemos a maturidade do texto e a evolução de Dihh Lopes enquanto comediante. E claro, a marca registrada deste espetáculo é o humor negro, considerado pelo próprio come­diante o show mais pesado que já escreveu.

Sr. e Sra Maloka
Com muito humor, emoção e música, juntos desde 2017, o casal Sr. e Sra. Maloka percebeu que sua sintonia ia muito além da vida amorosa. Por isso vão participar do festival com “Quem mandou casar?”. O par, que já tinha uma carreira consolida­da como humorista e digital influencer, passou a introduzir sua então namorada nos vídeos e os dois juntos passaram a conquistar ainda mais fãs com suas músicas e maluquices.

Hoje eles têm mais de 50 milhões de visualizações em seus vídeos. Um show de apro­ximadamente uma hora com histórias e músicas do cotidiano do casal contadas com muito humor. Ideal para os casais de todos os tipos que se identifi­cam instantaneamente e dão muitas risadas lembrando de suas próprias experiências.

Fabiano Cambota
O músico e comediante Fabiano Cambota nasceu em Goiânia (GO), mas procurando por calma e tranqüilidade se mudou pra São Paulo há alguns anos. Estará no Festival RIRbeirão com o show “De Cambota para Fabiano”. É vocalista da banda Pedra Letícia, sendo o res­ponsável também pelas letras divertidas do repertório da ban­da. Toca violão, pandeiro, viola, cavaquinho. Não é virtuoso em nenhum… Desde sua mudança pra São Paulo, começou a fazer stand-up comedy e espetáculos variados de humor e música.

Já participou, à frente da sua banda, dos programas “Domin­gão do Faustão”, “Programa do Jô”, “Turma do Didi”, entre outros. Tem a honra de dividir o palco com os grandes humoris­tas do Brasil e tem se destaca­do, tanto na música quanto no stand-up comedy. Vem se apre­sentando nas melhores casas do Brasil, sempre com um humor cativante e sem apelações.

Fez do humor a sua vida. Tanto à frente da banda Pedra Letícia, ou sozinho no palco com seu texto e suas improvisações, Fabiano Cambota tem mostrado que o humor pode ser inteligente sem ser difícil, e ser muito engraçado sem ser apelativo. Foi integrante do elenco do “Programa do Por­chat”, na Record, junto com sua banda. Comanda o programa “A culpa é do Cabral”.