olympics.com

Não há mais grito entalado na garganta: o nadador Bruno Fratus, um dos maiores nomes dos 50m livre da última década, conquistou a sua medalha Olímpica ao ficar com o bronze em Tóquio 2020 em 2021, com 21.57.

Como esperado, o americano Caeleb Dressel foi o medalhista de ouro, com 21.07, novo recorde Olímpico, mas ainda não superou o recorde mundial do brasileiro Cesar Cielo Filho de 20.91. Este é o quarto ouro de Dressel em Tóquio.

O francês Florent Manaudou se recuperou nos últimos metros, ultrapassou Fratus, e conquistou a prata com 21.55, seu terceiro pódio consecutivo na prova.

Esta é a décima sexta medalha da natação brasileira, contando com a maratona aquática, e segunda em Tóquio 2020, após o bronze de Fernando Scheffer nos 200m borboleta. Em todas as modalidades, o Brasil soma 10 medalhas no Japão até o momento.

Fratus também consolida a tradição dos 50m livre como a melhor prova do Brasil, com quatro medalhas Olímpicas. As anteriores são de Fernando Scherer em Atlanta 1996 e de César Cielo (ouro em Beijing 2008 e bronze em Londres 2012).