Fiscais flagram ‘gato’ na Zona Norte de RP

0
34

Equipes do setor de fis­calização do Departamento de Água e Esgotos de Ribei­rão Preto (Daerp) flagraram nesta terça-feira, 19 de no­vembro, um “gato” no Jardim Orestes Lopes de Camargo, na Zona Norte. No imóvel os fiscais encontraram uma liga­ção clandestina direta da rua para a residência sem passar pelo registro.

O usuário foi multado em R$ 3.979,50, equivalen­te a 150 Unidades Fiscais do Estado de São Paulo (Ufesps, cada uma vale R$ 26,53 neste ano). Além da multa, o Daerp também fará uma média de consumo do imóvel e cobrará a diferença retroativa aos úl­timos 60 meses de utilização de água – cinco anos.

Os fiscais foram até o imóvel após receberem uma denúncia anônima. No local constataram a ligação clandes­tina e imediatamente fizeram a retirada do cano e autuaram o usuário por fraude. Esta foi a sexta fraude encontrada pela fisalização do Daerp nas duas últimas semanas, três delas em estabelecimentos comerciais.

O Daerp tem intensificado a fiscalização contra ligações clandestinas e fraudes nos sis­temas de distribuição para ini­bir a prática de furto de água. O “gato” é um dos itens conta­bilizados como perda, porque a água fornecida não é paga pelo consumidor. A autarquia trabalha muito com o recebi­mento de denúncias, que po­dem ser feitas de forma anô­nima pelo telefone 115, mas também monitora consumi­dores para verificação, quando há mudança injustificada no volume de consumo.

“Nós vamos ampliar cada vez mais as ações da fiscaliza­ção, com o objetivo de inibir as fraudes. Quem frauda o sis­tema não prejudica apenas o Daerp com a falta de pagamen­to, mas também a população, porque reduz a quantidade de recursos para a manutenção dos serviços e investimentos. E prejudica a si próprio porque a punição financeira tem valor significativo”, afirma Marcus Berzoti Ribeiro, diretor Co­mercial e Financeiro do Daerp.

No primeiro semestre des­te ano, o número de autuações por ligação clandestina foi de 81, alta de 35% em relação ao mesmo período de 2018, quando foram registradas 60 autuações, 21 a mais em 2019. Também cresceu a autuação por hidrômetros danificados, que em 2018 foram 66 e neste ano foram 86 no primeiro se­mestre, um aumento de 30%, com 20 a mais.

Neste ano, os fiscais do Daerp já encontraram ligações clandestinas, fraudes e outros tipos de violação em imóveis em vários bairros nobres da cidade. Também já encontra­ram todo tipo de problema em lava-jatos, chácaras, churrasca­rias, restaurantes e postos de combustíveis. No primeiro se­mestre deste ano, de janeiro a junho, a fiscalização do Daerp emitiu 406 autuações por frau­des e ligações clandestinas. Deste total, o número de “ga­tos” foi de 81, quase 20%.

Em 2018, o número de autos emitidos pelo setor de fis­calização teve um acréscimo de 21,46%, ou 228 a mais – foram realizadas 1.290 autuações, con­tra 1.062 em 2017, envolvendo todo tipo de fraude em ligações de água na cidade, como os “gatos” (clandestina), fraude no hidrômetro e fornecimento irre­gular de água para terceiros.

No ano passado, foram fla­grados 209 “gatos” – média de 17 por mês. A autarquia tem, atualmente, 199.700 ligações de água. Os estabelecimentos foram autuados em 150 Uni­dades Fiscais do Estado de São Paulo (Ufesps, cada uma vale R$ 26,53 neste ano, o equivalente a R$ 3.979,50) e também terão de pagar a diferença de consumo dos últimos 60 meses.