Fotografia – Eternizando momentos

0
96

O Dia Nacional do Fo­tógrafo ou Dia Nacional da Fotografia foi comemorado na última quarta-feira, dia 8 de janeiro. A data é uma refe­rência à chegada da primeira câmera fotográfica ao Brasil, em 1840.

Em nível mundial, a ho­menagem é no dia 19 de agos­to, isso devido à invenção da primeira câmera fotográfica, a Daguerreótipo, inventada por Louis Jacques Mandé Da­guérre e apresentada ao mun­do em 19 de agosto de 1839, na Academia de Ciências da França, em Paris.
Para homenagear esses profissionais, que têm a sen­sibilidade de eternizar um momento em uma fração de segundo, o Tribuna con­vidou alguns fotógrafos que comentaram o amor pelo que fazem.

JF PIMENTA

FOTO: JF PIMENTA

JF Pimenta começou a fotografar aos 17 anos e hoje, com 35 anos de carreira, é considerado um dos principais profissionais da área em Ribeirão Preto, sendo responsável por registros marcantes da história da cidade. Com trabalhos publicados em veículos como os jornais Enfim, A Cidade, Tribuna e Folha de S. Paulo, e revistas como Revide, Exame, Veja e Istoé, Pimenta consolidou a carreira na região a partir da paixão pela fotografia e pelo princípio transfor­mador que o rege profissionalmente.

“O que sempre me atraiu na fotogra­fia e na profissão é justamente poder acompanhar e registrar o dia a dia da cidade e fatos de relevância social e histórica, além do trivial. Nesses 20 anos dedicados à fotografia jorna­lística, meus sentimentos e sentidos foram apurados”.

ALFREDO RISK


Formado em Engenharia de Telecomunicações e pós-graduado em Administração de Empresas, desde 2005, resolveu que iria trabalhar com que mais amava: fotografia. Aos 8 anos ganhou do seu padrinho uma câmera analógica e desde então tem a foto­grafia como hobby.

Começou profissionalmente em 2011, fazendo um freelance no jornal Tribuna, com a ajuda do Grupo Amigos da Fotografia, onde permanece até hoje. Teve suas fotos estampada nos principais portais de noticias como UOL, G1, Terra, Yahoo, Band, R7, IG. Também estampou jornais como Folha e Estadão. Hoje, além do Tribuna, trabalha fazendo casamentos, festa de 15 anos, aniversá­rios, eventos coorporativos, entre outros.

DIVULGAÇÃO

“O resgate do pequeno José, de seis anos, que, no início da noite de 17 de setembro de 2010, caiu em um buraco enquanto brincava. O resgate mobilizou grande efetivo dos bombeiros e uma retroescavadeira, em uma operação de risco para a criança. Acompanhei com muita apreensão o trabalho dos bombeiros e o sofrimento da família na esperança do salvamento. Graças a Deus e à dedicação dos bombeiros, registrei o momento de “renascimento” do pequeno José. Voltei com a alma leve para a redação”.

FABIO MELO


Com 20 anos de profissão, iniciou a carreira nos jornais Diário do Povo e Correio Popular, em Campi­nas. Em 2004 veio para Ribeirão Preto e trabalhou por nove anos no jornal diário Gazeta de Ribeirão; trabalhou também no jornal A Cidade. Desde 2014 atende exclusivamente empresas e assessorias de imprensa, fotografando principalmente eventos corporativos e sociais. É também fotógrafo de Con­fiança do Google Business View e; como professor, lecionou na escola de arte Bauhaus e palestrou sobre Fotojornalismo nas Faculdades COC e, mais recentemente, no Senac.

ESTUDIO WENTZ

“A fotografia acima de tudo é um documento visual, um recorte da época, uma referência de concei­tos, moda e tudo o que determina dado o momento. É o poder de registrar um fato; emoções além de resgatar uma memória perpetuando a história da família, sociedade e de uma humanidade. Para mim, significa ter o privilégio de registrar, ao meu modo e ver, o que mais possa interessar para quem está do outro lado, não somente como uma imagem estática, mas como forma de contar uma história que revela cada click ou um conjunto deles, denominando assim, um ensaio”.

IBRAIM LEÃO


Aos 63 anos, Ibraim começou a fotografar há 15 anos como um hobby, fazendo fotos “Pro Bono” dos espetáculos do Theatro Pedro II. Há 12 anos foi admitido como repórter fotográfico na re­vista Revide onde trabalha até hoje. “A fotografia representa para mim a chance de me redefinir como pessoa e como profissional que sou”.

ELZA ROSSATO


Aos 70 anos, Elza é presidente do Grupo Amigos da Fotografia, diretora da CONFOTO, membro honorária da Academia de Educação, Conselheira da Ordem dos Velhos Jornalistas, Associada da FIAP- Federation Internacional de Arte L* Photograplique, trabalha como freelancer para periódicos da cidade e exerce a função de professora de Fotografia. Iniciou na fotografia criança, com as fotos Pinhole (lata mágica).

Frequentou o Cine Foto de Santos, na década de 65, onde sempre ganhava prê­mios nos concursos internos. Em 1980 entrou para o Cine Foto de Ribeirão Preto e em 2000 abriu com mais seis fotógrafos o Amigos da Fotografia, onde está até hoje. Teve várias fotos premiadas. Em 1980, mudou-se para Ribeirão Preto e iniciou os trabalhos como re­pórter fotográfico no Jornal O Diário e Jornal do Interior. Fez parte do Conselho da Cultural e do COMPAC, representando a Fotografia. No Amigos da Fotografia publicou sete livros de fotografia da cidade. “A fotografia é como eu me expresso”.

Comentários