Há pouco mais de dois meses o casal Bill Gates e Melinda French anunciaram o divórcio após 27 anos de casamento, o que colocou os olhos de todo o mundo sobre a instituição filantrópica mantida pelo casal. No entanto, na época do anúncio, ambos informaram que a separação não afetaria o futuro da Fundação Bill e Melinda Gates.

Apesar da afirmação do ex-casal, o futuro da instituição parece sim estar abalado. O jornal Financial Times divulgou uma entrevista com um ex-funcionário do alto escalação da Fundação, em que foi afirmado que os funcionários estão “enlouquecendo” com as frequentes polêmicas que o casal está envolvido e temem o futuro das ações de filantropia, bem como a reputação da instituição.

Bill Gates e Melinda French  de mãos dadas
Funcionários temem futuro da Fundação Bill e Melinda Gates. Imagem: Reprodução

“As pessoas estão realmente preocupadas que a credibilidade e a posição da fundação estejam em risco agora, especialmente em áreas como o empoderamento de gênero”, disse o ex-funcionário que não quis se identificar.

Além dos impactos da separação de Bill e Melinda, a instituição recentemente também anunciou que o investidor Warren Buffett deixaria o conselho e a fundação. O motivo da saída de Warren Buffett não foi comunicado, mas é especulado que o investidor de 90 anos se viu “encurralado” após o divórcio do casal que ocupa as outras duas únicas cadeiras do conselho.

Há poucos dias, a Fundação Bill e Melinda Gates comunicou um plano de contingência criado para assegurar a continuidade do seu trabalho no futuro. Se dentro de dois anos o até então casal não puder seguir trabalhando junto, Melinda renunciará ao seu cargo de copresidente e curadora da fundação.

Em maio, antes mesmo de tantas crises, o presidente da organização, Mark Suzman, informou que estava procurando novos investidores para compor a diretoria da Fundação.

Via Olhardigital