Gasto médio será de R$ 196 nesta Páscoa

0
18

A Páscoa já faz parte do calen­dário da maioria dos brasileiros e promete movimentar o comércio no segundo trimestre. Um levanta­mento realizado pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) em todas as capitais do país aponta que sete em cada dez (72%) consumido­res pretendem ir às compras no período. Desses, 35% disseram que vão desembolsar a mesma quantia do ano passado, 32% devem gastar mais e 25% menos. O valor do tíquete médio será de R$ 195,52.

Para os que esperam ter um aumento de gastos este ano, a principal justificativa está relacio­nada à intenção de compras de um volume maior de produtos (41%). Outros 25% atribuem ao fato de os itens estarem mais caros e 19% afirmam que os itens estão com bom preço e, portanto, aproveita­rão a oportunidade. A sondagem também mostra que 43% dos con­sumidores irão adquirir a mesma quantidade de produtos da Páscoa de 2018, 41% desejam comprar mais e 11% menos.

Em média, a expectativa é de que os consumidores comprem seis produtos. Os principais presen­teados serão os filhos (59%), os cônjuges (42%), a mãe (41%) e os sobrinhos (33%). Já 27% vão presentear a si próprios. Este ano, estima-se que cerca de 113,2 milhões de pessoas gastem com a compra de presentes e chocolates durante a Páscoa. Um comporta­mento observado pela pesquisa revela que o brasileiro busca manter alguns hábitos de consumo adquiri­dos durante a crise.

A maioria (86%) dos consumi­dores disse que pretende pesquisar preços antes de levar os ovos ou demais produtos para casa, sendo que os locais preferidos para fazer essa comparação são supermer­cados (73%), internet (48%) e lojas em shoppings (40%). Considerando aqueles que não pretendem ter despesas relacionadas a presentes ou ovos de Páscoa e chocolates, 23% disseram que irão priorizar o pagamento de dívidas. Já 21% mencionaram que estão desem­pregados e, por essa razão, não devem sair às compras. Há ainda os que não gostam ou não têm o costume de presentear nesta época ou mesmo comemorar a data, o que correspondem a 16% dos entrevis­tados da amostra.

Questionados sobre a for­ma como planejam pagar suas compras de Páscoa, 78% dos consumidores disseram que farão à vista, seja em dinheiro (66%) ou no débito (28%). Outros 43% irão pagar a prazo, sendo que 20% usarão o cartão de crédito em parcela única, enquanto 23% preferem o cartão de crédito parcelado. Dentre os que optarão pelo parcelamento, a média será de quase quatro prestações. O levantamento aponta ainda que para 41% dos consumidores, os preços dos produtos estão mais caros este ano.

Os ovos de chocolate conti­nuam conquistando a preferência dos consumidores. Oito em cada dez (79%) entrevistados manterão a tradição de comprar o produto. Chama a atenção a preferência por bombons e barras de chocolate, com percentual que chega bem próximo ao dos que optaram pelos ovos de Páscoa (71%). Estudo aponta que 84% dos entrevistados pretendam adquirir itens indus­trializados, uma parte significativa menciona os chocolates artesanais (48%) — que aumenta para 58% entre os mais jovens.

A pesquisa ouviu inicialmente 800 consumidores de ambos os gê­neros, acima de 18 anos e de todas as classes sociais nas 27 capitais do país para identificar o percentual de pessoas com intenção de gastar na Páscoa. Para avaliar o perfil de compra, foram considerados 601 casos da amostra inicial. A margem de erro no geral é de 4,0 pontos percentuais, a um intervalo de confiança de 95%.

Ribeirão Preto – O Sindicato do Comércio Varejista de Ribeirão Preto e Região (Sincovarp) está otimista para alavancar as vendas e espera que o tíquete médio das famílias para as compras de cho­colate nesta Páscoa deve ser de R$ 80. Segundo os dados da Pesquisa Movimento do Comércio, divulga­dos pelo Sincovarp, no ano passado os negócios recuaram entre 1,99% (março) e 2,59% (abril).

A celebração ocorreu entre 30 de março (Sexta-Feira da Paixão) e 1º de abril (Domingo de Páscoa). Em 2017, a Semana Santa caiu em abril, entre os dias 14 e 16, e os negócios no varejo ribeirão-preta­no recuaram 1,78%. Neste ano, a Sexta-Feira Santa (Paixão de Cristo) cai em 19 de abril e o Domingo de Páscoa, no dia 21, também feriado de Tiradentes.

Comentários