A 19ª Feira Nacional do Li­vro e Leitura de Ribeirão Preto encerra suas atividades neste do­mingo, 16 de junho, com a ex­pectativa de público de 200 mil pessoas durante oito dias e mais de 330 atividades em 16 espaços diferentes. Para este final de se­mana, promete um giro cultural de alta qualidade na cidade com uma agenda para todas as ida­des. Este sábado, 15 de junho, começa com muita animação e criatividade no Quarteirão Pau­lista. Às dez horas, na Esplanada do Theatro Pedro II, acontece a Intervenção “Percursos Poéti­cos”, com o grupo Entrelace Co­letivo apresentado pelo Sesc.

Com a intervenção, o pú­blico é convidado a compor e recompor poemas em palavras, linhas, movimentos e sonorida­des que transformam espaços públicos. O geógrafo Melhem Adas e a mestre em Educação Escolar, Anita Adas, levam ao palco questões sobre um assun­to que assola não só o Brasil, mas também o mundo, e devem ser discutidas, como o que é a fome, afinal? Aspecto natural da so­ciedade ou criação humana? O encontro acontece no Auditório Meira Junior, no Theatro Pedro II, às dez horas.

Também neste horário, acontece o “Cortejo dos Encan­tadores de Histórias”, realizado pelo Núcleo de Contadores de Histórias da Fundação do Li­vro e Leitura de Ribeirão Preto. O cortejo circulará pela praça XV de Novembro e se apresen­tará no estande da Fundação do Livro e Leitura. O grupo selecionou textos de obras de Ignácio de Loyola Brandão e de Heloisa Prieto, autores home­nageados pela feira. A apresen­tação é coordenada pela atriz Miriam Fontana.

À tarde, um dos destaques é o Salão de Ideias com os autores Emilio Fraia e Gustavo Pacheco. Eles vão conversar sobre suas obras, como “Sebastopol”, “O Verão do Chibo” e a graphic no­vel “Campo em Branco”, escritos por Emilio. Já Gustavo é vence­dor do Prêmio Clarice Lispector da Fundação Biblioteca Nacio­nal, com o livro “Alguns Huma­nos”, e também é colunista da revista Época.

Para a noite do sábado, o ra­pper e professor Renan Inquéri­to vai ao estande da Fundação do Livro e Leitura para a “Parada Poética”, às 19 horas. A interven­ção literária idealizada por ele surgiu como um sarau em 2013 e já conquistou outros lugares, como Portugal, Inglaterra, Chile e Argentina. A proposta é per­mitir que o público seja a plateia e também o poeta em cena: po­emas sairão do papel e das telas do celular e ganharão os ouvidos por meio da oralidade.

No domingo (16) e último dia da 19ª Feira Nacional do Li­vro de Ribeirão Preto tem, logo pela manhã, a partir das onze horas, o espetáculo de teatro infantil, “Uma história cheia de dedos”, da Cia Polichinelo, com direção de Márcio Pontes, na Tenda Sesc. A apresentação leva a imaginação do público para um país de gente muito pequenina e que moravam em casinhas também muito peque­ninas. Ali, vivendo nas casinhas do lugar, encontravam-se as fa­mílias mais interessantes.

Logo mais, das 14 às 17 Ho­ras, outro destaque é a “Tarde Z”, com o Coletivo Z, no Auditório Meira Junior e Café do Theatro Pedro II – um momento dedica­do aos quadrinhos, aos fanzines e à cultura pop, com participa­ção de artistas, lançamentos de revistas e zines, shows musicais e muito papo sobre produção de arte e cultura alternativas.

Às 17 horas, o palco princi­pal do Theatro Pedro II recebe o show “Afinidades” – um due­to dos músicos Jorge Nasci­mento (saxofonista, composi­tor, arranjador) e Tiago Santos (bandolinista e compositor). Segundo Nascimento, “a união desses dois instrumentos em show solo de certa maneira é inusitada. A construção des­te trabalho está sendo desa­fiadora, pois tanto eu quanto Tiago, precisaremos encontrar uma nova maneira de tocar nossos instrumentos devido a esta formação não tão comum dentro do espectro musical”, explica o músico.

O show “Afinidades” é iné­dito e marca a retomada de uma parceria que se iniciou dentro dos conservatórios musicais. Como explica Tiago Santos, a sua concepção musical foi cons­truída através da genuína mú­sica popular brasileira. “Tenho como objetivo, fazer do meu instrumento o bandolim, uma ferramenta à disposição da mú­sica como um todo”, comenta. “Afinidades” contempla um re­pertório variado indo das com­posições autorais às releituras propiciando um encantamento aos ouvintes. O espetáculo teve origem do convite da “Iê ação cultural Brasil/Alemanha”, com sede em Berlim.

À noite, às 19 horas, aconte­ce o encerramento da 19ª Feira Nacional do Livro e Leitura de Ribeirão Preto, na sala principal do Theatro Pedro II e lançamen­to da 20ª edição de 2020. Após a cerimônia, o espetáculo musical “Ópera Chama Sagrada”, com o grupo Academia Livre de Músi­ca e Artes (Alma), encerra a 19ª edição da feira. Com composi­ções do maestro José Gustavo Julião de Camargo, a ópera foi baseada nos contos da escritora sueca Selma Lagerlôff. O espetá­culo conta com jovens, artistas e equipe de produção envolvidos no projeto da Alma.

Comentários