Jornal Tribuna Ribeirão

Genial/Quaest – Haddad lidera corrida eleitoral em São Paulo

Foto: Wilson Dias/Agência Brasil

Com 30% das intenções de voto, o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad (PT) lidera a disputa neste momento pelo Palácio dos Bandeirantes. Ele é seguido pelo ex-governador Márcio França (PSB), com 17%. O petista é também o mais re­jeitado entre os pré-candidatos ao governo do Estado, com 50% dos entrevistados. França soma 31% de rejeição. Os dados são da pesquisa Genial/Quaest.

Eles mostram ainda que o candidato apoiado por Jair Bol­sonaro (PL), o ex-ministro da Infraestrutura Tarcísio Freitas (Republicanos) aparece com 10% das intenções de voto e o governador Rodrigo Garcia (PSDB), candidato à reeleição, ficou com 5%. A cinco meses das eleições, o cenário ainda é de incerteza: só 36% dos entre­vistados disseram que já defi­niram seu voto enquanto 63% afirmaram que podem mudar de opção até outubro.

Os demais pré-candidatos – Felício Ramuth (PSD), Gabriel Colombo (PCB), Vinicius Poit (Novo), Altino Junior (PSTU), Elvis Cezar (PDT) e Abraham Weintraub (PMB) –, registra­ram 1% cada um e os indeci­sos somam 14% na pesquisa estimulada. Só 14% souberam apontar um candidato esponta­neamente – neste caso, Haddad e Tarcísio aparecem empatados com 5%.

A pesquisa mostra ainda que 38% dos eleitores de São Paulo não gostariam que os candida­tos apoiados por Lula e por Bol­sonaro ganhassem a eleição. Ao mesmo tempo, 33% preferem alguém apadrinhado pelo petista e 25% por Bolsonaro. A pesquisa verificou o peso dos padrinhos na disputa em outra pergunta, associando o nome do candidato ao seu apoiador. Ao todo, 39% disseram que votariam em Had­dad apoiado por Lula, enquanto 28% fariam o mesmo em Tarcí­sio apoiado por Bolsonaro.

Cenários
Em outro cenário da dispu­ta, sem a candidatura de Márcio França, Haddad subiria para 37%, Tarcísio marcaria 12% e Garcia teria 8%. Neste caso, a Ge­nial/Quaest pôde comparar a in­tenção atual de voto com a regis­trada em março. Haddad cresceu seis pontos porcentuais. Tarcísio permaneceu estável (12%) e Gar­cia oscilou dois pontos para cima, passando de 6% para 8%.

Em um terceiro cenário, com a desistência do petista, quem mais se beneficiaria é França, que passaria a liderar com 29%. Tar­císio aparece com 12% e Garcia tem 9%. Haddad também lidera as simulações de 2º turno. Contra França, o petista teria 38% ante 32%. No cenário com Tarcísio, marcaria 45% e o ex-ministro 23%, quase o mesmo em relação a Garcia – 44% a 21%.

Senado
A pesquisa testou dois cená­rios para a eleição ao Senado. No primeiro, o apresentador de TV José Datena (PSC) lidera a dis­puta com 28% das intenções de voto, seguido pelo ex-juiz Sergio Moro (16%), do União Brasil, e por Márcio França, com 11%. A ex-ministra Marina Silva (Rede) e Paulo Skaf (Republicanos) apa­recem com 10% e a deputada es­tadual Janaína Paschoal (PRTB) registra 5%. No segundo cenário, Marina lidera com 27%, seguida por Skaf (22%) e Janaína (9%).

Por fim, a pesquisa verificou a avaliação dos governos tucanos de João Doria e de Rodrigo Gar­cia. Doria tem avaliação negati­va de 43%. Os que o avaliaram como regular ficaram em 34% e a avaliação positiva foi de 18%. Já Garcia marca 19% de avaliação positiva e 33% de regular. A ne­gativa é de 16%, enquanto 32% dos entrevistados não souberam responder. A pesquisa, que foi paga pela Genial, ouviu presen­cialmente 1.640 eleitores de São Paulo entre 6 e 9 de maio. A mar­gem de erro estimada é de 2,4 pontos percentuais para mais ou para menos.

Mais notícias

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
AllEscort