Homicídios têm alta de 9,7% em 2020

0
37
REPRODUÇÃO

Segundo os dados do le­vantamento “Estatísticas da Criminalidade”, divulgados pela Secretaria de Estado da Secretaria da Segurança Pú­blica de São Paulo (SSP/SP), a incidência da maioria dos cri­mes recuou em onze meses do ano passado em Ribeirão Preto – oito deles em meio à rígida quarentena imposta devido à pandemia do novo coronaví­rus – na comparação com o mesmo período de 2019.

Todos os indicadores de crimes contra o patrimônio e a maioria dos atentados contra a vida apresentaram queda ou ficaram estáveis na compara­ção com o mesmo período de 2019: furtos, roubos, furtos e roubos de veículos, estupros e latrocínios (roubo seguido de morte). Porém, o número de homicídios cresceu e o de es­tupros disparou em novembro de 2020.

Ribeirão Preto registrou 45 homicídios entre 1º de janeiro e 30 de novembro, média de uma a cada sete dias e meio, alta de 9,7% em relação aos 41 do mesmo período de 2019 – média de aproximadamente um óbito a cada oito dias. Na comparação entre o 11º mês de cada ano houve estabilidade, com três mortes em cada. Em 2019 foram registrados 42 ho­micídios na cidade.

Ribeirão Preto também registrou três latrocínios em 2020, em fevereiro, março e abril, contra dois de 2019 todo, aumento de 50%, um a mais. No 11º mês dos dois anos não houve esse tipo de atentado contra a vida. Somando as duas modalidades – homicídios e latrocínios –, Ribeirão Preto soma 48 assassinatos entre 1º de janeiro e 30 de novembro, cerca de um a cada sete dias, cinco a mais do que os 43 de 2019, alta de 11,6%. Em 2019 foram 44 em doze meses.

A ocorrência de estupros despencou 33,3% na pande­mia, de 69 para 46 casos, 23 a menos em onze meses, mas disparou em novembro. Em 36 das denúncias feitas em 2020 as vítimas eram vulneráveis (78,2%) – crianças ou adoles­centes –, enquanto que, no ano anterior, 47 eram menores de idade (68,1%).

Porém, foram seis denún­cias em novembro de 2019, contra 18 do mesmo mês de 2020, doze a mais e alta de 200%. Na comparação com outubro do ano passado, quando ocorreram cinco crimes, o aumento chega a 260%. São 13 a mais. Foram 74 em 2019 todo (um a cada cin­co dias), 47 envolvendo vulne­ráveis (crianças ou adolescen­tes), 63,5% do total.

Os furtos de veículos re­cuaram 34,4% – baixaram de 1.562 para 1.024, ou 538 a menos em 334 dias de 2020. A média diária caiu de quatro para três casos. Na compara­ção entre os meses de novem­bro, a queda no ano passado foi de 10,8%, de 120 para 107, ou 13 a menos. Em 2019, fo­ram 1.695 furtos de veículos.

Os roubos de veículos caí­ram 39,8%, de 515 ocorrências para 310, ou 205 a menos em onze meses de 2020. A média baixou de mais de um (1,5) para menos de um (0,9) por dia. Na comparação entre os meses de novembro, a retração em 2020 chega a 41,2%, de 48 para 34. São 14 roubos de veículos a menos – fruto da quarentena estabele­cida pelos decretos de calami­dade pública. No ano passado foram 569 ocorrências.

O índice de recuperação de veículos pelas polícias Civil e Militar recuou 62,4%, de 843 em onze meses de 2019 para 317. São 526 a menos. A média diária recuou de dois para me­nos de um (0,9). Em novembro deste ano, foram recuperados 25 carros, motos e afins, contra 43 do 11º mês de 2019, recuo de 41,8% e 18 automóveis a menos. No ano passado todo foram 873 resgates.

Os casos de furtos em geral recuaram 30,8%. A incidência baixou de 8.147 em onze me­ses de 2019 para 5.633, redu­ção de 2.514. A média caiu de 24 por dia para 17. Em novem­bro de 2020, a SSP-SP com­putou 562 ocorrências, contra 689 do mesmo mês do período anterior, queda de 18,4% e 127 denúncias a menos. Em 2019, a SSP-SP registrou 8.823 bole­tins de ocorrência na cidade.

As ocorrências de roubo – quando a vítima sofre ame­aça (entram na estatística os de carga e a bancos) – recua­ram 37,1%. Caíram de 2.756 em onze meses de 2019 para 1.734 no ano passado, com 1.022 a menos. A média diária baixou de oito para cinco. Na comparação entre os meses de novembro, a retração é de 21,1%, de 213 para 168, com 45 a menos. Em 2019 foram 2.977 casos.