Existe a possibilidade de o julgamento de impeach­ment do presidente dos Esta­dos Unidos, Donald Trump, começar no dia da posse do democrata Joe Biden na presi­dência do país. O cronograma do processo é definido pelos procedimentos do Senado e começarão assim que a Câma­ra entregar o artigo de impedi­mento do republicano.

Com isso, o julgamento pode começar às 13 horas de 20 de janeiro, uma hora após a posse Joe Biden. Na quarta­-feira (13), Trump se tornou o primeiro presidente da história a sofrer impeachment duas ve­zes na Câmara dos Represen­tantes, desta vez por conta de seu envolvimento nos protes­tos que levaram à invasão do Capitólio na semana passada, em meio à sessão de certifica­ção da vitória do democrata nas eleições.

A presidente da Câmara, Nancy Pelosi, não disse quan­do dará o próximo passo para transmitir ao Senado o artigo do impeachment, uma única acusação de incitamento à in­surreição. Alguns democratas importantes propuseram reter o artigo para dar a Biden e ao Congresso tempo para se con­centrarem nas prioridades de seu novo governo.

O impeachment foi apro­vado com 232 votos a favor e 197 contra. Dos integrantes do partido do presidente, dez votaram para destituí-lo. Em 18 de dezembro de 2019, a Casa aprovou a destituição do republicano, mas ele foi absol­vido no Senado. Naquela vez, Trump era acusado de pres­sionar o mandatário da Ucrâ­nia, Volodymyr Zelenski, a abrir uma investigação contra Hunter Biden, filho do então pré-candidato do Partido De­mocrata à presidência.

A pressão pelo novo pro­cesso de impeachment cresceu depois que Trump incentivou apoiadores, durante um dis­curso, a marcharem até o Ca­pitólio para interromper a cer­tificação de Biden. Desde que perdeu a eleição, em novembro de 2020, o republicano insiste, sem provas, que houve fraude no pleito. Nesta quarta-feira, o líder do Partido Republicano no Senado, Mitch McConnell, descartou a possibilidade de convocar uma sessão extraor­dinária nesta sexta-feira (15) para analisar o impeachment, como chegou a ser especulado.

Dessa forma, uma votação sobre a destituição de Trump não deve ocorrer antes da pos­se de Joe Biden. A próxima ses­são regular da Casa está mar­cada para o dia 19. Em nota a seus correligionários, McCon­nell disse que ainda não deci­diu como votará no impeach­ment de Trump, mas garantiu que ouvirá os argumentos quando eles forem apresenta­dos ao Senado.