Inscrições para vagas na PM vão até amanhã

0
34
JF PIMENTA/ARQUIVO

O Estado de São Paulo abriu, em 14 de janeiro, con­curso público para a contrata­ção de 2.700 soldados da Polí­cia Militar de segunda classe. O candidato precisa ter ensino médio completo e altura míni­ma de 1,55 metro para mulhe­res e de 1,60 m para homens. O salário-base é de R$ 3.318,53.

As inscrições podem ser fei­tas até esta quinta-feira, 25 de fevereiro. A prova será em 11 de abril, domingo, em Ribeirão Preto e mais dez cidades pauilis­tas: Araçatuba, Bauru, Campi­nas, Piracicaba, Presidente Pru­dente, Santos, São José do Rio Preto, São José dos Campos, São Paulo e Sorocaba.

As atribuições do cargo de soldado PM de segunda classe são o policiamento ostensivo e a preservação da ordem pú­blica, envolvendo a repressão imediata às infrações penais e administrativas e a aplicação da lei, nas diversas modalida­des de policiamento, sempre primando pela defesa da vida, da integridade física e da dig­nidade da pessoa humana.

Tudo em conformidade com os princípios doutrinários de polícia comunitária, de direitos humanos e de gestão pela qua­lidade, por intermédio da con­clusão com aproveitamento do Curso Superior de Técnico de Polícia Ostensiva e Preservação da Ordem Pública, destinado a formar, com solidez teórica e prática, o profissional ocupante do cargo inicial do Quadro de Praças da Polícia Militar.

As inscrições deverão ser re­alizadas somente pela internet, no site da Fundação Vunesp (www.vunesp.com.br) até as 23h59 de 25 de fevereiro. O can­didato poderá realizar o paga­mento da taxa de inscrição até o primeiro dia útil subsequente ao término do período das inscri­ções. A valor da taxa é de R$ 57.

Pode ser paga em qualquer agência bancária, utilizando somente o boleto gerado no ato da inscrição, até o primeiro dia útil subsequente ao térmi­no do período das inscrições. O pagamento pode ser efetu­ado em dinheiro ou cheque. Neste caso, o cadastro somen­te será considerado efetivado após a compensação.

Em 26 de novembro, o go­vernador João Doria (PSDB) anunciou a contratação de 5.875 policiais militares e civis, aprova­dos em concursos públicos que haviam sido suspensos em razão da pandemia. Parte dos profis­sionais iniciarão suas atividades no segundo semestre 2021.

Para a Polícia Militar, serão nomeados 2.100 soldados de segunda classe de um edital de 2019, que estava suspenso. Além destes e dos 2.700 sol­dados de segunda classe, está prevista, para o primeiro se­mestre de 2021, a nomeação de mais 190 alunos-oficiais de outros dois concursos sus­pensos, dos anos de 2019 e 2020, respectivamente.

Polícia Civil
Para atividades de polícia judiciária, serão nomeados 885 profissionais, sendo 32 de­legados, 600 investigadores, 54 agentes de telecomunicação, 30 papiloscopistas, 86 auxilia­res de papiloscopista e 83 agen­tes policiais.

Em 30 de dezembro, o tu­cano nomeou 2.592 novos po­liciais – 600 investigadores de Polícia Civil e 1.992 soldados de segunda classe da Polícia Militar – aprovados em con­curso público. As nomeações foram publicadas no Diário Oficial do Estado (DOE).

A próxima etapa será a posse dos nomeados. Em seguida, to­dos iniciarão seus respectivos os cursos. Mais 288 policiais civis devem ser nomeados, sendo 35 delegados, 54 agentes de teleco­municação, 30 papiloscopistas, 86 auxiliares de papiloscopista e 83 agentes policiais. Esses também seguirão os trâmites para formação na Acadepol, após a nomeação.

Reforço policial
Na atual gestão, foram con­tratados mais de 7,1 mil policiais, sendo 5.060 militares, 1.323 civis e 765 técnico-científicos. Todos já estão em plena atividade, re­forçando a segurança no Estado. Além disto, outros 3,5 mil pro­fissionais passam atualmente por formação.

São 3.361 policiais militares entre soldados e alunos-oficiais e 218 delegados para a Polícia Ci­vil. “Muito brevemente, teremos 16.602 policiais novos atenden­do a população de São Paulo”, destaca o general João Camilo Pires de Campos, secretário da Segurança Pública do Estado.