Destaque no Prêmio Bola de Prata com três troféus (ar­tilheiro, melhor centroavante e Bola de Ouro), o corintiano Jô se emocionou ao relembrar os momentos difíceis que pas­sou antes da volta por cima em 2017, em que ajudou o time al­vinegro e conquistar o Estadual e o Brasileirão. O atleta dedicou os prêmios à torcida do clube e disse que ainda sonha com vaga na seleção brasileira para a Copa do Mundo em 2018.

“Passei por momentos di­fíceis na minha vida e, neste ano, no início, tive pessoas que sempre estiveram ao meu lado, minha família”, disse Jô, emocio­nado. “É tanto tempo no futebol, comecei aos 16 anos e já passei por muitas coisas. Só tenho que agra­decer a Deus e aos meus com­panheiros, ao Corinthians que acreditou na minha mudança.”

Jô disse ter se preparado para a volta por cima em 2017 e que conseguiu dar conta da con­fiança depositada nele durante a temporada. “Tive que superar essas dificuldades, me preparei bem e consegui dar minha res­posta dentro de campo. É uma honra. Foi um ano maravilho­so e respondemos às críticas no gramado. Fomos merecedores e essa Bola de Ouro vai para a tor­cida do Corinthians e aos meus companheiros.”

O centroavante despistou sobre a possibilidade de deixar o Corinthians em 2018. “Tenho contrato até 2019, e as mensa­gens que recebo, o carinho dos torcedores sempre fizeram eu me sentir importante. Depois desse 2017, espero fazer um 2018 ainda melhor, que é o que pode acontecer e o que eu dese­jo. Quanto a uma possível saída, só há especulações. Agora, estou pensando nas férias e em voltar na próxima temporada e fazer mais um bom ano.”

O corintiano ainda disse que sonha com uma vaga no time de Tite para a Copa do Mundo de 2018, na Rússia. “Tenho expec­tativa de voltar à seleção, mas tenho que respeitar a decisão do Tite e da comissão dele. Tenho mais seis meses para voltar e fazer gols, fazer gran­des atuações e, se Deus quiser, ter uma nova oportunidade.”

Novas baixas – O técnico Fábio Carille afirmou nesta segunda-feira que acha difícil que o elenco do Corinthians não sofra mais baixas para a próxima temporada. O treina­dor corintiano fez a declaração na cerimônia de premiação do troféu Bola de Prata, concedida anualmente pela ESPN Brasil aos melhores do torneio. Ele foi premiado como o melhor técnico do campeonato.

“Conversamos para que não saia mais ninguém além do (Guilherme) Arana e do Pablo, mas sabemos que é difícil”, disse o treinador. “Não dá para cra­var que não vai sair ninguém. (O elenco do Corinthians) Tem atletas que se destacaram e que chamaram atenção. E aí tem a questão pessoal, o sonho de atuar em outro lugar.”