Camaro branco, um dos ítens do leilão - AS - Divulgação

A Justiça de Sorocaba autorizou para o dia 19 de julho, o leilão de um lote de veículos de luxo apre­endidos em uma das mais im­portantes operações policiais já feitas naquela cidade. Os carros – entre eles Mus­tang, Camaro, Range Rover e Mercedes Benz, por exem­plo – foram apreendidos du­rante a Operação ‘Alquimia’, deflagrada pela Polícia Civil e Ministério Público, em maio de 2018 e serão leiloados pela empresa Savoy Leilões.

Na ocasião, a polícia cum­priu 23 mandados de busca e oito de prisão, e apreendeu carros, armas e munições, além de conseguir na Justiça, o bloqueio de uma conta de previdência privada no valor de R$ 11 milhões.

Em julho de 2020, a Jus­tiça condenou a quadrilha acusada de extorquir e fazer um esquema de agiotagem naquela cidade. Juntas, as condenações dos réus so­maram 427 anos. O grupo foi acusado de extorsão, agiotagem, lavagem de di­nheiro e sonegação.

Após a prisão, uma limi­nar do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Mar­co Aurélio, colocou os cinco presos em liberdade. Quando houve o julgamento do re­curso, a liminar foi revogada, mas apenas dois deles foram novamente presos pela po­lícia. Ao todo, sete dos nove condenados estão foragidos.

 

Rural Willys, xodó de colecionadores

Segundo a investigação, a quadrilha foi organizada por pai e filho. O primeiro, apontado como um dos chefes do ban­do, foi preso e condenado a 73 anos de prisão. Já o segundo, está entre os que estão foragi­dos. A maior condenação é de um dos membros da quadri­lha, que também está foragido, e chegou a 97 anos de prisão.

Ao todo, cerca de 16 mil documentos foram analisa­dos. Segundo a denúncia, uma das vítimas relatou, por exemplo, que ao menos des­de 2015 os réus usavam arma de fogo e agiam com outras pessoas em uma organiza­ção criminosa para diversos crimes. Naquele ano, presen­cialmente ou por telefone, eles a ameaçaram para entre­gar o valor de R$ 2 milhões. No mesmo período, a inves­tigação identificou, por meio de quebra de sigilo, que outra vítima sofreu violência para a entrega de R$ 1.516.000,00.

Além de documentos e outros objetos, com o cum­primento dos mandados de prisão e busca, foram apre­endidas armas e munições utilizadas nas extorsões, bem como eletrônicos, como celu­lares e computadores.

Em um dos celulares apre­endidos, foi recuperada pela polícia, uma conversa de um dos chefes explicando a um comparsa como iniciou nos ‘negócios’: ele disse que ‘era quebrado’, mas que apren­deu a emprestar dinheiro ‘do nada’ e depois ‘ensinou ao filho’. Segundo o áudio extra­ído dos equipamentos dele, “Deus deu a oportunidade e mostrou o caminho”.
Ao menos 15 pessoas fo­ram vítimas do grupo. A inves­tigação identificou que imó­veis e lanchas, além dos carros de luxo foram comprados por meio da prática criminosa.

Empresa possui pátio com capacidade para 4 mil carros

Com sede na cidade de Campos do Jordão (SP), a empresa que vai promover o Leilão (Savoy Leilões) inaugurou, no final do ano passado, um pátio com cerca de 55 mil m2, com capacidade para o armazenamento de aproximadamente 4 mil veículos (entre carros e motos), na cidade de Rio Claro.

Divulgação

“As pessoas que geralmente participam dos nossos leilões agora poderão arrematar veículos em melhores condições e comodida­de”, ressalta o diretor da empresa, Arnold Strass. A Savoy atua no ramo de leilões de veículos e imóveis há mais de 30 anos, sendo considerada uma das mais atuantes e experientes do mercado.

A empresa atua nos mais diversos ramos de leilões: judiciais, extrajudiciais ou particulares, dentre eles, obras de arte, Prefeitu­ras Municipais, imóveis e veículos do Detran, Deinter e Delegacias Seccionais e conta com mais de 30 mil cadastros de clientes em todo o país. Com a pandemia, os leilões online e simultâneos são realizados através do site: www.savoyleiloes.com.br