De volta ao ringue
A lei que transformou o Daerp em secretaria municipal ainda precisa passar pelo “ringue” da Câmara de Vereadores, que tem sido leve para com o prefeito Duarte Nogueira (PSDB). Segundo tribunais superiores, caso tal procedimento não seja seguido, tudo volta à estaca zero. Obviamente que a matéria será estu­dada minuciosamente e os parlamentares da oposição deverão colocar óbices tanto no conteúdo quanto no encaminhamento e votação.

Noites em claro
Uma matéria desta importância, em outras legislaturas, de­mandava discussões que ultrapassavam dias e noites em claro, com argumentos sopesados e importantes, com os re­presentantes da população recorrendo a especialistas para depois votar. Quando a discussão começava, com a tribuna da Câmara plena de competentes vereadores, já se sabia que os membros da edilidade poderiam buscar cobertores, escovas de dentes e lanches para uma ou mais noites em claro. Agora ficou mais fácil…

Que fim levou…
O estudo sobre a real situação do transporte coletivo urbano ainda não teve os seus resultados divulgados. A contratação da empresa, por conta das próprias operadoras do serviço, foi questionada por alguns vereadores. Querem que a análi­se efetiva fosse realizada por empresa contratada pela admi­nistração municipal. Ao que consta, este estudo, no decorrer da prestação dos serviços contratados através de licitação, é obrigação contratual. Resta saber se os interessados estão acompanhando os apontamentos técnicos imparciais.