ONDE ESTA O DINHEIRO…
Quando o Governador Alckmin voltou a governar São Paulo o pes­soal que assumiu a Artesp comentou que havia uma discrepância entre o que as concessionárias arrecadaram e os cálculos dos valo­res dos pedágios. Na saída do Governo de Claudio Lembo, conforme comentou-se na oportunidade, a autorização foi a maior. Os cál­culos estariam errados. Aventou-se a possibilidade de se devolver o que havia ultrapassado o que era legal. Os valores acumulados ultrapassariam a dois bilhões e quinhentos milhões de reais. A Artesp teria dito que não havia como devolver os valores, pois os proprietários de veículos teriam que apresentar os tickets e poucos teriam esta possibilidade. Não se tentou devolver aos proprietários de “Sem Parar” e outros meios de pagamentos. Está na hora de se verificar onde está o dinheiro se verdadeira esta informação.

MOVIMENTO CONTRA PAGAMENTO
Está havendo um movimento contrário ao pagamento de pedá­gio, pois quem assim se posiciona garante que o IPVA seria um imposto único e que os demais extrapolariam a legalidade. Impor­tante o Governo do Estado explicar devidamente a questão para que evitemos problemas.

PREFEITURA USA DE TODOS OS MEIOS PARA RECEBER TRIBUTOS
A Prefeitura está se utilizando de todos os meios de contato com os munícipes para alertá-los sobre os REFIS que deverá se pror­rogar até o final do mês de outubro. O total a receber de impostos e taxas atrasados ultrapassa a 80 milhões de reais. A Fazenda conseguiu arrecadar mais de onze milhões de reais até agora.

ESCUDO ANTI-BALA
A preocupação dos policiais militares na preservação da vida das vítimas e da própria equipe motivou que o Governo adquirisse es­cudos “anti-balas” que tem sido de uma importância ímpar nas ações da chamada Força Tática. Quando o grupo de ação especial é chamado e os seus membros ingressam com tais escudos, aler­tam os policiais, tudo pode acontecer. Ultimamente quem tem le­vado a pior são os marginais. Na última semana muitos morreram em confronto com a PM.