Larga Brasa

0
55

NÃO DORMEM DE BOTINA
O pessoal do GAECO e da Policia Federal, no dizer popular, não dor­mem de botina. A quarta “Operação Sevandija” estava sendo levada avante enquanto a Justiça procedia aos procedimentos legais para en­quadramento de envolvidos na primeira, segunda e terceira operações. Há ainda possibilidade de que uma quinta etapa seja deflagrada com operações conjuntas do Gaeco e Policia Federal. Há perfeita sintonia entre o Ministério Publico do Estado de São Paulo e a Polícia Federal.

PROCON VAI AGIR COM RIGOR
As Medidas Provisórias editadas pela Presidência da República co­locam como ponto de vigilância dos preços dos combustíveis, desde quando da saída das refinarias até as bombas à ação dos Procons de todo o país. Ontem o Dr. Carlos Cesar Barbosa, que teve atuação destacada no combate ao “cartel” dos combustíveis, garantiu que irá dar todo o suporte para que o PROCON local impeça abusos com a lei, reconhecendo este órgão como sendo o principal fator para garantir a lei de combate às distorções que têm se verificado.

ESTÁ AGINDO
Segundo o vice-prefeito e responsável pelo PROCON, nestes últi­mos dias foram feitas várias multas por infrações diversas a postos de combustíveis que estavam com preços discrepantes. As autua­ções estão sendo encaminhadas para a Justiça.

MUITAS RECLAMAÇÕES DA QUALIDADE DO COMBUSTÍVEL
Muitos consumidores têm reclamado junto à reportagem sobre a qualidade de combustíveis. Alguns chegam a afirmar que observa­ram (sem foto, no entanto) dois postos colocando água no tanque de etanol de caminhões que abasteciam as bombas. Outros garan­tem que a qualidade da gasolina era péssima a ponto de o carro sair do posto e simplesmente parar no meio da rua, necessitando o motorista de acionar o seguro para que o guincho o levasse para a oficina. Pedem que a ANP venha proceder à constatação da quali­dade dos combustíveis.

DIREITO DO CONSUMIDOR
Os órgãos de defesa do consumidor garantem que o motorista tem direito a fazer a constatação da densidade do etanol, através do den­símetro e também da quantidade em medidor aprovado pelo Inmetro que tem capacidade de 20 litros. Se o que consta na bomba não con­fere com o que tem no medidor, a multa do IPEM é muito alta.

Comentários