O povo subindo a General Osório
O então prefeito Welson Gasparini, em fim de mandato, reunido com amigos no Palácio Rio Branco, era questionado se voltaria a con­correr para a Prefeitura de Ribeirão Preto. Dono de um eleitorado cativo, depois de uma gestão muito aplaudida pela população, com o IBOPE no alto, ele se fazia de rogado e afirmava que não sairia.

Os fiéis companheiros
No final de governo, todos os políticos sabem que o cafezinho é frio, ninguém atende ao telefone e pouquíssimos abrem a porta para quem bate. Ele, tranquilo, respondia as indagações sobre os quatro anos de administração, seus sucessos e possíveis equí­vocos. Depois de um balanço, enumerando as obras e os bairros atendidos, dizia que estava cansado e que iria “dependurar as chuteiras”. Os mais incisivos questionavam se ele, bem avalia­do, inclusive pela imprensa de São Paulo, sempre presente nos Congressos de Municípios, onde era protagonista e não figurante, esfregava as mãos e garantia que seu tempo havia se encerrado.

Carreira
Fazia análise de sua carreira desde quando saiu candidato a vere­ador e foi eleito, candidato a deputado estadual e por pouco não sendo guindada a Assembleia Legislativa de São Paulo, comen­tando a sua eleição para prefeito pela primeira vez quando venceu Paulo Gomes Romeo (um cavalheiro) por trezentos votos etc. Di­zia ter realizado um sonho e que podia andar pelas ruas da cidade olhando nos olhos de um por um de seus moradores sem ter que “ baixar os olhos”. “Acredito que cumpri com minha missão”, dizia cabisbaixo e enrubescido pela emoção.

Subida da General
Em dado momento , um de seus mais diletos amigos e compa­nheiro lhe fez uma pergunta de chofre:” O que seria uma con­dição impossível de você rejeitar para se candidatar”. Olhou pela janela da rua Cerqueira Cesar , tomou um gole de água e disse: “Se mais de mil pessoas subissem a rua General Osó­rio pedindo para ele se candidatar, eu o faria”. Posteriormente outros perguntaram: “ mil pessoas…”. Ele repensou e disse, “ Não, umas quinhentas”. Outros mais exaltados reiteraram a mesma pergunta. Ele diminuiu para algumas centenas.

Dependurou as chuteiras
Welson Gasparini, na última sexta feira, anunciou que dependurou as chuteiras. Acabou seu mandato como deputado estadual que sucedeu aos quatro anos de administração e outros mandatos de deputado federal e estadual. No entanto, ficou na minha memória a frase que ele deixou patente na sua saída de uma de suas admi­nistrações: “Se algumas centenas de populares subirem a General Osório pedindo que eu seja candidato, eu sairei”. Não se iludam. Gasparini não foge da raia. Se uma centena de populares subirem a Rua General Osório com cartazes solicitando a sua volta para a Prefeitura, não tenham duvida que, mesmo depois dos oitenta e tantos anos ele sairá. Tenho dito. Confiram.

Comentários