Larga Brasa

0
31

O momento atual
Dentro de um quadro que aflige a todas as famílias de todo o mundo, quando em determinados países morrem centenas dia­riamente, e na oportunidade em que o problema se multiplica de forma assustadora, alguns setores são insensíveis à situação em que se encontra o povo, amedrontado, dentro de uma qua­rentena que o impossibilita de ir e vir para sua segurança e de todos, e sendo vítima de desmandos dos próprios governantes que não cuidaram dos preceitos mínimos para garantir a higie­ne e saúde dos cidadãos.

Bancos
Os bancos continuam a cobrar juros exorbitantes com apenas algumas medidas paliativas por alguns meses, em que não perdem quase nada no pagamento de dívidas com a cobrança de encargos e de serviços daqueles que são obrigados a se curvarem às suas determinações por força das circunstân­cias. O serviço por internet abrange a muitos, mas não a to­dos. Os setores da economia baixaram os juros da Taxa Selic , mas bancos e financeiras continuam com os juros mais caros que nos parece ser do mundo.

Renegociação
Renegociação de dívidas, sempre com a parte do Leão com eles, e após pagar o principal, há que se enfrentar as custas cartorárias que são abusivas para “ limpar“ o nome. Para pio­rar, os referidos bancos e afins relutam em pagar o ISS das prefeituras, o que poderia auxiliar a equilibrar as combalidas contas municipais. Em Ribeirão Preto são os maiores devedo­res do ISS.