Medicamentos em falta
Medicamentos para intubação de pacientes com covid-19 es­tão em falta no mercado. Os hospitais procuram ajudar uns aos outros, encaminhando qualquer sobra para que não haja pa­ralisação do atendimento. Desapareceram dos laboratórios os medicamentos de sedação, inclusive um deles que se utiliza do “curare’ que surgiu nas tribos de índios brasileiros e que serve para manter a musculação em ação mas com sedação para a respiração com oxigenação.

Campanhas
Campanhas orientadoras precisam ser feitas para que as pes­soas residentes nos bairros mais distantes tenham a noção do que podem ou não contar na hora de uma necessidade urgente. Mesmo as questões de higiene e da necessidade de recolhimento das pessoas em suas residências precisa ser enfatizada. O resguardo, segundo as autoridades médicas é muito importante. Mas há que se enfatizar todos os itens para se evitar o contagio desta pandemia.

Intermunicipais
O Tribunal de Justiça de São Paulo reconheceu a necessidade de os ônibus intermunicipais transportarem somente o nume­ro de passageiros conforme as cadeiras que possuam para que os usuários sejam levados a seus destinos devidamente sentados. Na questão dos coletivos urbanos, ainda nada se decidiu ou decidiu-se confusamente.

Juiz
A decisão que proibiu a viagem de passageiros em pé é do juiz Gustavo Müller Lorenzato, da 1ª Vara da Fazenda Pública de Ribeirão Preto, que concedeu liminar para o transporte em ônibus intermunicipais, e atende a uma ação do Consórcio de Municípios da Alta Mogiana (CMM) e vale para 43 cidades da região. O obje­tivo é tentar evitar a transmissão do novo coronavírus.