PIXABAY

Um levantamento feito pelo Instituto Sou da Paz contabilizou dados de vio­lências nos últimos dois anos e confirmou uma re­dução na taxa de homicídios em Ribeirão Preto e região. O estudo mostrou que, em 2019, a região apresentou taxa de 6,2 homicídios do­losos por 100 mil habitantes, enquanto, em 2020, o núme­ro caiu para 5,3.

Os dados contabilizaram estatísticas da Secretaria da Segurança Pública (SSP) do Estado de São Paulo, assim como das Corregedorias das Polícias Civil e Militar do Estado.

No entanto, apesar da região de Ribeirão Preto ter apresentado redução, o ano de 2020 foi o primeiro ano, desde 2012, no qual houve um aumento no número de vítimas de violência letal no Estado, com um crescimen­to dos homicídios dolosos de 4,5% em relação ao ano de 2019. Isso ocorreu mes­mo em um contexto de iso­lamento social e pandemia.

Ainda segundo esse es­tudo, no total, foram 4.187 vítimas de letalidade violenta em São Paulo em 2020, cerca de 11 pessoas mortas por dia no estado. O aumento dos homicídios dolosos, em que­da desde 2013, se concentrou principalmente nos municí­pios da Grande São Paulo, que registraram um crescimento de 13,5% em 2020 em com­paração com o ano anterior.

Letalidade policial
O instituto ainda fez um levantamento sobre a letalidade policial, que apresentou grande varia­ção ao longo do ano de 2020. O primeiro semestre registrou alta no número de mortes provocadas por policiais em serviço. No entanto, o segundo semes­tre apresentou intensa re­dução, resultando em um total anual de 39 vítimas a menos em relação ao ano de 2019.

Das 4.065 mortes violen­tas intencionais no estado, 844 (39 vítimas a menos que no ano de 2019), foram co­metidas por policiais dentro ou fora de serviço, ou seja, uma participação de 21% das polícias na letalidade violenta do estado.

Isso significa que os poli­ciais paulistas mataram uma média de 2,3 pessoas por dia no decorrer de todo o ano. Por um lado, houve a queda no número de pessoas mor­tas por policiais em serviço em São Paulo, com 51 víti­mas a menos, uma redução de 6,9% em relação ao ano de 2019, que havia se des­tacado pela alta letalidade policial em serviço. No en­tanto, as polícias Civil e Mi­litar de São Paulo mataram fora de serviço 159 pessoas em 2020, ou seja, 12 mortes a mais que no ano anterior.