ALFREDO RISK

A queda nas temperaturas deve aquecer o volume de ven­das do varejo. De acordo com pesquisa realizada pela Fede­ração das Câmaras de Dirigen­tes Lojistas do Estado de São Paulo (FCDLESP), com a par­ticipação das principais CDLs do Estado, as liquidações de inverno vão aumentar em 10% o volume de vendas do comér­cio paulista.

O setor de vestuário e cal­çados foi duramente afetado pela pandemia. Para os lojistas, liquidações e descontos são a melhor opção para movimen­tar as vendas e chamar a aten­ção do consumidor. Além de roupas e calçados, espera-se um desempenho positivo no setor de roupas de cama.

“Durante esse período, o lojista pode aproveitar as campanhas de liquidação e descontos. Peças de moletom e casacos devem ser os itens mais procurados. Essa é uma estação de boas oportunida­des para estimular o comércio”, explica o presidente da FC­DLESP, Maurício Stainoff.

Vendas
Mesmo com a necessá­ria adaptação do modelo de negócio físico para o online, 60% dos comerciantes supõem que as vendas do período fica­rão nas lojas físicas e 40% no e-commerce. A maior demanda de compra no comércio físico deve permanecer nas lojas de rua. De acordo com a entida­de, descontos progressivos na compra e facilitar as formas de pagamento – como aumentar o número de parcelas, é a me­lhor maneira de atrair clientes.

“Com aceleração na vaci­nação, o cliente se sente mais seguro para ir às compras. Es­peramos que a data movimen­te o setor e ajude os lojistas no equilíbrio do fechamento, para que o segundo semestre seja de expectativas positivas no varejo”, finaliza Stainoff.