Serginho e Pacheco trabalharam juntos no Vôlei Ribeirão (Foto: Alfredo Risk/Jornal Tribuna)

Marcos Pacheco não é mais técnico do Vôlei Ribeirão. Através das redes sociais, o Cavalo Ace comunicou a saída do treinador do projeto. Pacheco comandava a equipe ribeirão-pretana desde 2017, quando o projeto teve inicio.

A não continuidade de Pacheco no projeto é um forte indicio de que o Vôlei Ribeirão pode estar perto do fim. Em dificuldades financeiras desde o ano passado, quando disputou a Superliga com um time bastante modesto e acabou rebaixado, o Cavalo Ace pode fechar as portas ou mudar de cidade.

“Estou passando por aqui para anunciar que estou me desvinculando do projeto Vôlei Ribeirão. Gostaria de agradece ao Lipe, gestor da equipe e quem me trouxe para cá, os profissionais de comissão técnica que trabalharam conosco nessas quatro temporadas, os jogadores que acreditaram no projeto, a Prefeitura e os patrocinadores, que tornaram isso possível. Tenho um carinho enorme pelos torcedores, que tornaram a Cava do Bosque um ambiente saudável e que apoiaram a equipe durante o tempo todo. Muito obrigado”, afirmou Pacheco.

Apesar dos indícios, em entrevista exclusiva ao Tribuna, Pacheco garantiu que sua saída não tem a ver com o término do projeto.

“Minha saída não está vinculada ao término do projeto. O Pacheco técnico está saindo do vôlei Ribeirão, somente isso. A continuidade ou não do projeto eu não sei como vai funcionar. Eu acertei com o Vôlei Renata, estou indo para Campinas”, contou.

Sob o comando de Pacheco, o Cavalo Ace foi campeão da Taça de Prata em 2017, da Superliga B em 2018 e disputou duas edições da elite do voleibol nacional.

O novo destino de Marcos Pacheco é o Vôlei Renata, de Campinas. O treinador já foi anunciado pela equipe campineira.

“Campinas está inserido no grupo de elite do vôlei. É um projeto sólido, bem montado, com uma equipe de retaguarda consistente, que permite com que o corpo técnico possa se preocupar apenas com o vôlei. Nesses oito anos, o time foi campeão paulista, chegou a uma final de Superliga. Então é uma responsabilidade grande. Os objetivos são altos. A expectativa, sem dúvidas, é por resultados expressivos. Esse é o desafio: manter essa chama acesa, essa competência na busca por resultados”, disse Pacheco sobre sua chegada ao Vôlei Renata.

Além de técnico do Vôlei Ribeirão, Pacheco também foi secretário de Esportes em 2020. Com a paralisação das competições por conta da pandemia e saída de Ricardo Aguiar da pasta, o treinador assumiu de forma interina até a chegada do novo secretário, André Trindade.