Daerp flagra fraude em motel da cidade

0
192
DIVULGAÇÃO

O setor de fiscalização do Departamento de Água e Esgotos de Ribeirão Pre­to (Daerp) flagrou, no final da tarde de quarta-feira, 14 de agosto, um motel no Jar­dim Zara, Zona Leste da ci­dade, que estava fraudando o hidrômetro. A empresa foi autuada e irá pagar uma multa de R$ 3.979,50 – equi­valente a 150 Unidades Fis­cais do Estado de São Paulo (Ufesps), que neste ano vale R$ 26,53 cada.

A fraude foi descoberta pelo leiturista. Ele perce­beu que o lacre da caixa do hidrômetro estava solto. A fiscalização foi até o local e constatou a irregularidade, confirmando que o lacre do equipamento também esta­va violado e, o hidrômetro, com a cúpula solta e com um furo para a colocação de um dispositivo para evitar que o aparelho marcasse correta­mente o consumo.

Além da multa, o Daerp também fará o levantamento de até 60 meses (cinco anos) e cobrará a diferença entre o consumo real e o valor pago. O consumo médio do motel era de 69 metros cúbicos por mês. Entretanto, quando este hidrômetro foi instalado, em abril de 2018, as primeiras leituras ficaram na faixa de 130 metros cúbicos mensais.

Neste ano, os fiscais do Daerp já encontraram liga­ções clandestinas, fraudes e outros tipos de violação em imóveis em bairros nobres da cidade, como na Ribeirâ­nia, na Zona Leste, e na City Ribeirão, na mesma região da cidade. Também já encon­traram todo tipo de proble­ma em lava-jatos, chácaras, churrascarias, restaurantes e postos de combustíveis.

No primeiro semestre deste ano, de janeiro a junho, a fiscalização do Daerp emi­tiu 406 autuações por fraudes e ligações clandestinas. Deste total, o número de “gatos” foi de 81, um aumento de 35% em relação ao mesmo perío­do do ano passado, quando foram encontradas 60 liga­ções clandestinas, 21 a mais. Os itens somados represen­tam cerca de 60% das multas aplicadas pela fiscalização.

Em 2018, o número de autos emitidos pelo se­tor de fiscalização teve um acréscimo de 21,46%, ou 228 a mais – foram realiza­das 1.290 autuações, contra 1.062 em 2017, envolvendo todo tipo de fraude em li­gações de água na cidade, como os “gatos” (clandesti­na), fraude no hidrômetro e fornecimento irregular de água para terceiros.

No ano passado, foram flagrados 209 “gatos” – média de 17 por mês. A autarquia tem, atualmente, 199.700 li­gações de água. Os estabele­cimentos foram autuados em 150 Unidades Fiscais do Esta­do de São Paulo (Ufesps, cada uma vale R$ 26,53 neste ano, o equivalente a R$ 3.979,50) e também terão de pagar a diferença de consumo dos úl­timos 60 meses.

A população pode cola­borar denunciando através do telefone 115, sempre que desconfiar de alguma irregu­laridade. O Daerp também iniciou um trabalho de fisca­lização nos residenciais com o objetivo de impedir que se­jam feitas ligações clandesti­nas, principalmente durante a construção dos imóveis.

Desde o início do ano vem aumentando a fiscaliza­ção em todos os bairros para inibir irregularidades. “Nós temos trabalhado em regime de mutirão em várias regiões da cidade e temos consegui­do um ótimo resultado”, ex­plica o diretor Comercial e Financeiro do Daerp, Marcus Vinicius Berzotti.