Jornal Tribuna Ribeirão
Economia

MTST ocupa prédio da B3 no Centro de São Paulo

REPRODUÇÃO TWITTER

Manifestantes do Movimen­to de Trabalhadores Sem-Teto (MTST) ocuparam a sede da Bolsa de Valores de São Paulo (B3) na tarde desta quinta-feira, 23 de setembro, em meio a um protesto contra a fome, a desi­gualdade e a inflação no Centro da capital paulista. A B3 infor­mou que movimento já deixou o prédio, mas manifestantes continuam do lado de fora.

Imagens publicadas pelo movimento mostraram dezenas de militantes em um hall interno do prédio, agitando bandeiras e carregando cartazes com men­sagens contra a alta de preços e contra o presidente Jair Bolso­naro. Eles faziam uma passeata no Centro Histórico paulistano e entraram correndo no edifí­cio, sem que os seguranças pu­dessem conter o grupo. O ato começou por volta das 13 horas.

“É inadmissível que quase 100 milhões de brasileiros este­jam em situação de fome e in­segurança alimentar enquanto os bilionários movimentam R$ 35 bilhões por dia só aqui na Bolsa”, disse a líder sem-teto De­bora Pereira, segundo uma nota divulgada pelo grupo. “Alguém está ganhando muito dinheiro com a fome do brasileiro e isso nós não podemos aceitar.”

Em frente ao painel infor­mativo com as cotações do dia, manifestantes exibiam uma bandeira do Brasil estilizada com a palavra “fom””. Um cartaz também trazia a frase “sua ação financia nossa miséria”. Outros continham mensagens de indig­nação com a inflação no país. O movimento ressalta que entrou no local de forma pacífica.

Os sem-teto dizem que ele­geram o local como uma espécie de símbolo da concentração de renda e da especulação finan­ceira, enquanto tentam chamar atenção para o desemprego e a pobreza. Eles também criticam o apoio de parte dos grandes empresários do País ao governo Bolsonaro, que também é alvo da manifestação.

Mais tarde, por volta das 16 horas, a B3 informou que o Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) já havia deso­cupado o prédio, na rua XV de Novembro, Centro de São Pau­lo. Segundo a Bolsa de Valores, os manifestantes continuam do lado de fora do imóvel. Disse ainda que os manifestantes per­maneceram no lobby, que tem acesso público, e não tentaram acessar outras áreas do prédio.

Mais notícias

Inflação nos supermercados é de 1,53%

Redação 1

Secretários do Ministério da Economia pedem exoneração

Redação 1

Auxílio Brasil será de R$ 400 em 2022

Redação 1

Preços de tomate e cenoura sobem

Redação 1

Preço do etanol bate novo recorde

Redação 1

Petrobras tem demanda para novembro acima da capacidade de produção

Redação 1
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com