Número de óbitos vai para 40 em SP

0
39
VALTER CAMPANATO/AG.BR.

A Secretaria de Estado da Saúde registrou um total de 40 óbitos relacionados ao novo coronavírus, causador da co­vid-19, nesta terça-feira, 24 de março. Todos ocorreram na Grande São Paulo. Das dez novas mortes confirma­das desde ontem, seis são ho­mens (de 71, 75, 79, 80, 89 e 93 anos) e quatro mulheres (de 48, 65, 84 e 85).

A mulher de 48 anos, tinha comorbidades e era de Vargem Grande Paulista. As outras ci­dades da Grande São Paulo com registro de óbitos foram Guarulhos (mulher, 85 anos), Taboão da Serra (mulher, 84) e Osasco (homem, 79). As pes­soas com comorbidades e ido­sos configuram grupo de risco.

Entre o total de mortes re­gistradas até o momento, 37 ocorreram em hospitais pri­vados e três em hospitais do Sistema Único de Saúde (SUS). O Estado também registra 810 casos confirmados. Coorde­nadora interina do Centro de Contingência do Coronavírus, a médica Helena Sato, ressal­tou a importância de que mo­radores de todas as regiões de São Paulo cumpram as medi­das de isolamento para evitar a disseminação do vírus. “Ficar em casa é a vacina que nós te­mos. Essa é a grande responsa­bilidade de todos nós enquan­to cidadãos”, disse.

Negativo
O governador João Doria (PSDB) publicou na noite des­ta terça-feira, 24 de março, no Twitter que a contraprova de seu exame deu resultado nega­tivo para covid-19. Doria deci­diu se submeter ao teste após o médico infectologista David Uip, coordenador do Centro de Contingência do Coronaví­rus no Estado, ter testado posi­tivo para a doença.

“Contraprova com re­sultado negativo para co­vid-19. Além do teste feito no Hospital Albert Einstein, fiz questão de fazer essa con­traprova e compartilhar o re­sultado, seguindo o princípio da transparência e respon­sabilidade com que estamos enfrentando a pandemia para salvar vidas”, postou Doria.

Máscaras
O governador João Doria (PSDB) anunciou que reedu­candos do sistema prisional do Estado vão auxiliar nas ações de prevenção ao novo coronavírus. A Secretaria da Administração Penitenciária adquiriu insumos para pro­dução de 320 mil máscaras descartáveis de proteção. A confecção já começou.

A previsão é que sejam produzidas 26 mil peças por dia nas fábricas adaptadas es­pecialmente para a produção das máscaras. Cerca de 200 reeducandos de várias regiões do Estado, de penitenciárias masculinas e femininas, vão confeccionar as máscaras de proteção descartáveis para uso em procedimento simples (não-cirúrgicos).

“Serão produzidas 26 mil peças por dia, seguindo os cri­térios sanitários e de confecção para a produção destas másca­ras, que terão um custo para o governo de São Paulo de R$ 0,80 por peça. É uma atitude correta, solidária e possível de ser feita. Pode ser um exemplo também para outros Estados brasileiros”, disse Doria.