FOTOS: DIVULGAÇÃO

Um dos eventos culturais mais importantes do interior paulista está de volta: o 12º Encontro Nacional de Acor­deonistas de Ribeirão Preto e será realizado no dia 1º de junho (sábado), das 11h30 às 18h, na fazenda Tulha Santa Estela, em Jurucê (SP). Os convidados especiais des­ta edição do evento, que já confirmaram presença, são os músicos Luciano Maia e Nonato Lima – considerados ícones no acordeon – e farão um show durante o encontro. Músicos da região também estarão presentes, entre eles, Antônio Carlos Assalim, Ne­tinho Frighetto, Sonia Cam­ponês do Brasil Pavão e João Bizinotto. Os convites são li­mitados e não serão vendidos no local do evento.

Após um intervalo que durou seis anos, o evento cultural ganhou forma nova­mente e deve reunir nesta 12ª edição cerca de 30 acordeo­nistas. A idealizadora do en­contro, a acordeonista Gilda Montans, resolveu retomar o evento após muitos pedi­dos do público que partici­pou das edições passadas. “O evento acontece em um local rural e isso acaba sendo um dos atrativos, além, é claro, de assistirem a uma varieda­de de músicos com sotaques diferentes de cidades e regi­ões”, destaca Gilda Montans. Segundo a acordeonista, o encontro reunirá músicos de todo o País. “Todos os acorde­onistas devem trazer seu acor­deon, pois irão se apresentar na abertura”, acrescenta.

O 12º Encontro Nacional de Acordeonistas de Ribeirão Preto acontece em um local simbólico na região, a Tulha Santa Estela, que completa 90 anos. Este espaço da fazenda era, antigamente, a tulha de café e foi transformado em um salão de festas com to­tal infraestrutura. A fazenda possui uma área ampla, rode­ada de jardins, espaços verdes e estacionamento amplo.

O Encontro
A primeira edição do evento aconteceu em 1999 e seguiu continuamente até 2008, quando a idealizadora e acordeonista Gilda Mon­tans resolveu interrompê-lo. Em 2013, uma nova edição foi realizada e, após seis anos, o evento volta a acontecer em 12ª edição. Nomes im­portantes já se apresentaram por lá, entre eles, o mestre sanfoneiro pernambucano Dominguinhos (que morreu em julho de 2013) teve uma participação significativa na edição de 2004.

Destaques
Luciano Maia
Natural de Pelotas, ini­ciou seus estudos musicais aos nove anos. Aos 13, já era considerado um fenômeno entre os que o ouviam nos festivais de música nativista. Na adolescência, mudou-se para Porto Alegre. Lá conhe­ceu e tocou com os maiores nomes do Rio Grande do Sul, como Edson Dutra, Renato Borghetti, Luiz Carlos Bor­ges, Oscar dos Reis e muitos outros. Seu nome aparece em mais de 80 discos, entre CDs solo, parcerias, participações especiais, projetos especiais e gravações independentes.

Nonato Lima
O instrumentista é natural de Quixadá (CE). Ele teve seu primeiro contato com a san­fona na infância. No decorrer de sua trajetória musical, foi ganhando referência de gran­des ícones da música brasilei­ra, como Dominguinhos e o acordeonista francês Richard Galliano. Nonato competiu em festivais nacionais e in­ternacionais, sendo campeão em todos.

A idealizadora
Com 65 anos de carreira, Gilda Montans é instrumen­tista, arranjadora e composi­tora. Nasceu em Altinópolis, interior do Estado de São Paulo. Teve formação básica como professora de música em 1958, Virtuose em acor­deon pelo Conservatório Bra­sileiro de Harmônica de São Paulo, em 1960, tendo como mestre Edy Meirelles. É gra­duada em Instrumento, Edu­cação Artística e Educação Musical, pela Universidade de Ribeirão Preto (Unaerp), mestra em Pedagogia Musi­cal, pela Escola de Sociologia e Política de São Paulo com o trabalho científico “O ouvido como centro das interações perceptivas no processo ar­tístico musical”.

Comentários