O sertanejo de Simões e Santana

0
32
Simões é natural de Olímpia (SP)

Há vinte anos na estrada, sendo que 15 com a atual formação, Simões e Santana se preparam para lançar um novo DVD, o segundo da carreira da dupla. No proje­to, reúne músicas de ritmos variados, desde a viola até o ukulelê, “com muita alegria e energia positiva”, diz Simões, que bateu um papo com a re­portagem do Tribuna.

A dupla nasceu há vinte anos. Os integrantes na oca­sião vinham do curso de Di­reito e eram conhecidos como “os doutores da música”. Cin­co anos após, Santana seguiu outro caminho e Simões en­controu um novo parceiro. O nome da dupla se manteve e os projetos cresceram ano a ano.

Santana nasceu em Uberlândia (MG)

Simões é de Olímpia (SP) e Santana de Uberlândia (MG), mas ambos escolhe­ram Ribeirão Preto como casa. O segundo DVD, que marcou os 15 anos da forma­ção foi gravado no final do ano passado, para celebrar a data de aniversário. Em breve estará disponível aos fãs.

Formação musical
Ambos cresceram ouvindo o gênero sertanejo. No início o sertanejo raiz e depois o uni­versitário. “Nós procuramos ouvir os dois gêneros e acom­panhamos o que se apresenta de novo”, diz Simões.

O cantor diz que não é ta­refa fácil viver de música. “É muito difícil sobreviver. Como em qualquer outra profissão existem os altos e baixos e com a gente não é diferente”, diz. “Dentre as coisas negativas ti­vemos amargas experiências com falsos empresários que nos levaram várias vezes a pen­sar em parar, face aos golpes fi­nanceiros e falsas ilusões”, con­ta Simões. “Em contrapartida, de positivo, tivemos a opor­tunidade de conhecer várias partes do Brasil na realização de vários eventos coorporati­vos de empresas multinacio­nais, de poder testemunhar vários casamentos aumentan­do em muito nossos laços de amizade, de conhecer e tocar nas melhores casas noturnas do país, o apoio e execução de nossas músicas em mui­tas emissoras de rádio do país por mérito e não pelo famoso jabá”, completa o músico. “Ain­da de conhecer vários artistas os quais somos admiradores, dentre eles, Mato Grosso e Ma­thias, Rio Negro e Solimões, Gustavo Mioto e dividir o palco com alguns deles como Leonardo, Juliano César, Mu­nhoz e Mariano, Zé Henrique e Gabriel, Kléo Dibá e Raphael, Zico e Zeca, Liu e Léo, Mococa e Paraíso”, finaliza.