Obra em sede da Osrp está na fase final

0
18
FL PITON/ARQUIVO

A reforma da sede históri­ca de Orquestra Sinfônica de Ribeirão Preto foi retomada no final do ano passado e está em fase final. O projeto ga­nhou novo parceiro, o Institu­to Credicitrus, que contribuiu com R$ 60 mil para obras de adequação e modernização do prédio, localizado na rua São Sebastião nº 1002, no Centro.

Com isso, coro e orquestra estão ansiosos para a retomada dos ensaios. “Estamos come­morando as parcerias. Precisá­vamos de um salão apropriado às nossas necessidades e temos certeza que, no palco, vamos responder à altura dos parcei­ros que acreditam na música de orquestra”, diz o maestro Reginaldo Nascimento.

“Quem não conhece os bastidores não imagina que ensaiamos uma apresentação por seis meses, à noite, aos finais de semana ou feriados, muitos levam filhos, outros viajam uma hora ou mais para estarem neste coro. Por isso, nosso cumprimento a cada parceiro que patrocina este projeto”, comemora a regente do coro, Snizhana Drahan.

Walter de Ferreira, conhe­cido com Waltinho, é contra­baixista da Orquestra Sinfô­nica desde 1980. É o músico mais antigo do grupo. “Vi grande parte da história da orquestra que está chegando nos seus 100 anos em 2022 e sei quanto a Sinfônica de Ri­beirão Preto contribuiu com o crescimento da cultura de nossa cidade”, diz.

“Música é arte, mas é tam­bém educação, desenvolvendo o indivíduo como um todo. É geração de renda e transforma para melhor a vida da cidade, por isso, aguardamos ansiosa­mente o novo espaço para dar nova vida a orquestra, a nós músicos e à cidade”, explica.

Reforma
A reforma teve início em fevereiro de 2020, mas foi suspensa devido à pandemia da covid-19. “Nesta etapa es­tão sendo feitas adequações no salão para a realização dos ensaios, com criação de uma seção especial para acolher o arquivo histórico da orques­tra, rampas de acesso para pessoas com deficiência, pin­tura e renovação da fachada, troca do piso do salão princi­pal de ensaios, troca do forro, iluminação, ar-condicionado, acabamentos nas paredes, sistema de escoamento das águas pluviais e banheiros. O projeto conta também com a construção de um café no fu­turo”, explica Contart.

O prédio, segundo as es­crituras, foi adquirido em 20/10/1958, pela Sociedade Musical de Ribeirão Preto, então mantenedora da Or­questra. No endereço, acon­tecem ensaios de concertos e óperas, ensaios dos instru­mentistas e coro adulto e in­fantil, mas também são reali­zados vários cursos, palestras ou workshops ministrados pelos músicos à comunidade ou profissionais convidados.

Além disso, o espaço é li­berado para que os músicos ministrem aulas a seus alunos. “O antigo casarão já é um cen­tro cultural, e nunca deixou de ser desde que assumido pela Sinfônica. Agora, moderni­zado, valorizará as atividades culturais, atrairá a população do centro e de bairros e será um diferencial para o Centro da cidade, pois, num futuro próximo, será possível à po­pulação assistir aos ensaios do coro e orquestra, às prepara­ções de óperas e outras mon­tagens”, explica Contart.

Instituto Credicitrus
Fundado em 28 de agos­to de 2019, com o propósito de desenvolver e apoiar ações educacionais, sociais e cultu­rais na comunidade, incentivar o consumo sustentável, a gera­ção de energia limpa e reno­vável e a sustentabilidade am­biental por meio de estratégias inovadoras ligadas ao coopera­tivismo. No seu primeiro ano de atuação, o Instituto Credi­citrus investiu mais de R$ 1.3 milhão em ações de impacto que chegaram a 74 municípios paulistas e mineiros e transfor­maram mais de dez mil vidas diretamente.

A Orquestra Sinfônica
No ano passado, a Or­questra Sinfônica de Ribeirão Preto fez apenas apresenta­ções virtuais, sem a presen­ça de público, por causa da pandemia de coronavírus. O regente titular é o maestro Reginaldo Nascimento. Tem cerca de 40 músicos e é man­tida pela Associação Musical de Ribeirão Preto, criada em 1921 por músicos e abnega­dos como Max Bartsch.

Fez sua primeira apresen­tação em 1938. Desde então, a Orquestra sinfônica fun­ciona de modo ininterrupto e vem desenvolvendo impor­tantes projetos que difundem a música erudita, reafirman­do seu papel de destaque no setor artístico e nos cenários municipal e nacional.
Já são mais de 1.400 con­certos oficiais em âmbito na­cional e internacional.

A Osrp desenvolve im­portantes projetos que difun­dem a música erudita, além de contar com uma escola de canto coral com 120 alunos e três coros – Coro de Câmara, Coro Lírico e Coro Juvenil.