JF PIMENTA/ARQUIVO

O ônibus elétrico que está em Ribeirão Preto desde 13 de maio para testes começou nesta segunda-feira, 14 de ju­nho, o atendimento à linha 108-Jardim Presidente Dutra, que recebe usuários do trans­porte coletivo dos bairros Jardim Silvio Passalacqua, Jardim Presidente Dutra, Jar­dim Herculano Fernandes, Residencial das Américas, Vila Recreio, Ipiranga, Alto do Ipiranga, Sumarezinho e Vila Tibério.

A linha será atendida pelo veículo até o próximo domin­go, dia 20. O ônibus possui ar­-condicionado e iniciou a ope­ração na rua Duque de Caxias (em frente à praça Carlos Go­mes), na região Central. Logo após, passou pela avenida Jerô­nimo Gonçalves, rua Coronel Luiz da Cunha, rua São Salva­dor e depois seguiu em direção ao Alto do Ipiranga.

Os testes feitos pela Em­presa de Trânsito e Trans­porte Urbano (Transerp) fazem parte do Programa Ribeirão Mobilidade. O ônibus é 100% elétrico. O veículo modelo BYD D9W – 20.410 piso baixo tem ca­pacidade para 29 passageiros sentados e 51 em pé. O que está em teste na cidade com­porta 24 pessoas sentadas e 45 em pé. Tem 250 quilôme­tros de autonomia, o que per­mite rodar o dia inteiro, e em seguida, retornar à base para recarga da energia elétrica.

A recarga total (0% a 100%) se dá em um período de até quatro horas. O carregamen­to noturno torna a operação mais vantajosa, uma vez que o custo da energia elétrica neste período é mais baixo. Duarte Nogueira diz que a demonstra­ção do veículo tem um gran­de potencial de ser aplicada, pois a cidade tem adotado medidas sustentáveis.

Benefícios do ônibus elétrico
Além do ar condiciona­do, o ônibus possui tomadas USB e são do tipo piso baixo, o que facilita o embarque e de­sembarque. Ainda, os veículos são totalmente acessíveis, por meio de rampas, o que facilita o embarque e desembarque do cadeirante. Pode-se ainda des­tacar o silêncio interno e ex­terno, ao garantir impacto da redução na poluição sonora.

O ônibus representa um grande instrumento para a redução de poluentes locais e de gases causadores do efeito estufa. Na média, cada ônibus a combustão consome 90 litros de diesel em um dia de opera­ção. Sendo assim, cada ônibus elétrico deixa de emitir 110 to­nelada ao ano de gás carbônico (CO2) na atmosfera.