O plenário da Câmara vi­veu dois momentos de empur­ra-empurra entre deputados nos últimos minutos na ses­são que deve ter a votação do processo contra o presidente Michel Temer ainda hoje. No meio da confusão entre depu­tados governistas e opositores no centro do plenário, cédulas de dinheiro falso foram jo­gadas pela oposição e gover­nistas inflaram bonecos do “pixuleco”, o boneco que faz menção ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Segundos antes da con­fusão, parlamentares come­çaram a se provocar com xingamentos e provocações. “Cala a boca” e “babaca” fo­ram ouvidos pouco antes da confusão que culminou no empurra-empurra entre parlamentares. Um dos en­volvidos foi Wladimir Costa (Solidariedade-PA) que ficou conhecido nos últimos dias pela tatuagem em homena­gem ao presidente Temer.

Enquanto deputados se estranhavam no plenário, a oposição passou a exibir uma grande faixa com a inscrição “Fora Temer” no plenário. Já os governistas passaram a in­flar bonecos “pixulecos”. Um dos bonecos era segurado por Costa, o deputado da tatua­gem. Em reação, Maia pediu que a faixa da oposição fosse retirada e que os portadores dos bonecos não gritassem.

Em um dos momentos de confusão, seguranças chega­ram a caminhar na direção dos deputados para eventual ação – o que não foi necessário.