Originais do Samba fazem show na região

0
15
MAURÍCIO ANTÔNIO

Com uma programação gratuita de teatro, dança, música, circo, artesanato, oficina e ex­posição, termina neste domingo, 1º de dezembro, a IV Semana Cultural Neco Rosseto, em Jardi­nópolis. Na noite de encerramen­to, a grande atração será o show com o grupo Originais do Samba. O evento é gratuito e aberto à população e também aos alunos de escolas públicas.

Recebeu 30 mil pessoas nas últimas três edições. A banda Originais do Samba vai tocar os sucessos da carreira e também uma composição feita pelo patrono do evento, Neco Rosseto. A apresentação terá início às 21 horas e deve acabar por volta das onze da noite, na Praça Matriz. O conjunto vocal e de percussão, criado no Rio de Janeiro no início da década de 1960, tem 24 traba­lhos lançados entre álbuns e EPs.

Traz no repertório sucessos que marcaram época, como “Cadê Tereza”, “Do lado direito da Rua Direita”, “Esperanças perdidas”, “Tragédia no fundo do mar” – conhecida por “Assassinato do Ca­marão” –, entre outros. Conhecido do grande público pela carreira de destaque entre as décadas de 1960 e 80, o grupo teve em sua formação inicial a participação do comediante e músico Mussum (1941-1994), antes de ele entrar para “Os Trapalhões”.

Formado em 1965, o então sexteto ganhou projeção nacional em 1968 ao participar da I Bienal do Samba, acompanhando Elis Regina no samba “Lapinha”, de Baden Powell (1937-2000) e Pau­lo César Pinheiro. O grupo gravou pela RCA o primeiro álbum, “Os Originais do Samba” (1969), que teve como grande sucesso a músi­ca “Cadê Tereza?”, de Jorge Ben.

Em sua formação original, o grupo era composto por Mussum (Antônio Carlos Bernardes, no re­co-reco), Rubão (Rubens Fernan­des, no surdo), Bigode (Arlindo Vaz Gemino, no pandeiro), Bidí (Murilo da Penha Aparecida e Silva, cuíca), Chiquinho (Francisco de Souza Serra, agogô) e Lelei (Wanderlei Duarte, no tamborim).

Já participou de gravações com nomes de destaque da música brasileira, como Chico Buarque, Jair Rodrigues e Toqui­nho e atualmente é um quarteto formado por Bigode Pandeiro (pandeiro), o único remanescente da formação original do Origi­nais do Samba, Júnior (Juninho Originais, no vocal ereco-reco), Marcos Scooby (cavaquinho) e Rogério Santos (violão).

Em 2000 gravaram o primei­ro CD ao vivo com convidados como Almir Guineto, Carlos Dafé, Joãozinho Carnavalesco, Dhema, entre outros, tendo como sucesso a releitura de “A subida do morro”, com a participação do Rapper Xis. Em 2003 gravaram um CD focado no sambarock, regravando os principais sucessos do grupo. E em 2008, com recursos próprios, lançaram o CD “A corda arrebenta e o samba não cai”, com 15 músi­cas inéditas e duas regravações.

Comentários