Os desafios de estudar o Amor (12): Como são formados, mantidos e terminados os relacionamentos

0
20

Considerando a existência de diferentes tipos de amor, diferen­tes estágios no interior dos relacionamentos requerem mecanis­mos e processos que ajudam ou prejudicam casais na manutenção dos mesmos. Ademais, as trajetórias dos diferentes tipos de amor também podem ser bastante diferentes. O Amor Companheiro é um tipo de Amor que se desenvolve de forma relativamente lenta. Baseado em amizade relativamente estável, dura, tal qual esta, um longo período da vida, com bons e maus momentos sendo com­partilhados. Nele, tal compartilhamento fazendo com que os parceiros fiquem mais próximos e íntimos. Karin Sternberg, em Psychology of Love (2014), afirma que estudos sobre o assunto revelam ocorrer, no primeiro ano de casamento, não só o declínio do Amor Romântico quan­to do Amor Companheiro, supondo, também, que o Amor Compassivo, num relacionamento a longo-prazo, pode subsidiar e evoluir para um Amor Companheiro. Todavia, há evidências de que Amor Companheiro é importante desde o começo num relacionamento romântico, e não depois. Por sua vez, ao longo dos tempos, o Amor Romântico pode ser considerado uma combina­ção de afeição e paixão sexual e, como consequência, é razoável assumir que, se um desses dois componentes começa a diluir-se, o Amor Romântico, como um todo, também será afetado.

No início de um relacionamento, as pessoas são mais prováveis de vivenciarem surpresas em resposta aos comportamentos de seus parceiros. Obviamente, se o parceiro age de alguma forma que faz o parceiro se sentir bem, ou suporta-lo, os mesmos experenciarão emoções positivas. Mas, pelo contrário, se os resultados das ações de um dos parceiros faz o outro se sentir mal, ou interfere opositivamente com os objetivos dele, os mesmos experenciarão emoções negativas. Assim, quanto mais tempo os parceiros estão num relacionamento, tanto mais previsivo este se torna. O que isso significa? Significa que as ações de um parceiro raramente surpreende o outro, pois as pessoas já esperam que o parceiro se comporte de determina­da maneira, usualmente a enriquecer seu próprio bem-estar.

As ações positivas de um parceiro não mais causam surpresa, nem levam a sentimentos não esperados de felicidade e satisfação. Ações negativas esperadas ainda podem causar surpresa e, seria­mente, colocar em perigo um relacionamento. Parceiros envolvidos num relacionamento de longa data comportam-se, na maioria das vezes, da maneira esperada. De modo que as emoções intensas geralmente diminuem com o passar do tempo. Do mesmo modo, o relacionamento sexual declina quando os relacionamentos envelhecem. Há estudos que revelam também que o Amor Romântico declina significativamente durante o primeiro ano de casamento. Isso é esperado porque a paixão inicial dissipa-se de algum modo com o passar do tempo, podendo ser substituída pelo que tem sido descrito como uma amizade sólida, fazendo previsível a vida em comum, ajudando-os a navegar nas atividades diárias com maior facilidade, resultante da ausência das emoções apaixonadas, altas e baixa.

Finalmente, importa considerar o custo temporal do Amor Comunal. Ele se desenvolve muito ra­pidamente, haja vista que uma pessoa que tem interesse em alguém pode se interessar por outrem por curto período de tempo, tomando ações imediatas. Um fator importante do Amor Comunal é a pessoa sentir se ela pode confiar no outro para a) aceitar qualquer suporte oferecido e b) oferecer suporte se necessário. Amor Comunal é tam­bém parte de relacionamentos de longo-prazo, tais como os casa­mentos. Entretanto, conflitos e o estresse da vida diária, ao acirrarem os ânimos do casal, podem acirrar atritos entre ambos. Quando isso ocorre, a satisfação marital usualmente diminui. O curso que um relacionamento toma vai depender, também, de as ações altruístas de um indivíduo são necessárias apenas por um curto período; ou, se, por exemplo, o parceiro fica doente, vindo a necessitar de cuidados intensivos por um longo tempo ou mesmo ao longo do resto de sua vida.

Assim considerando, diferentes tipos de Amor manifestam trajetórias de início, manutenção e fim muito diferentes um do outro. Certamente, as condições econômicas, sociais, familiares, sociais, religiosas e, até mesmo, pandêmicas, podem afetar essas trajetórias.

Comentários