Os desafios de estudar o Amor (16): Traços de Personalidade e Relacionamentos

0
26

Será que a forma e a duração de seu relacionamento dependem tanto dos seus traços de personalidade quanto dos traços de personalidade da pessoa que você ama? Atualmente, a Teoria de Personalidade mais amplamente aceita supõe a existência de cinco grandes fatores de personalidade, os quais sobrepujam quaisquer outros traços menos comuns. E, além disso, supõe-se que esses cinco grandes traços sejam universais, prevalecendo entre pessoas e entre nações. De acordo com Karin Sternberg, em Psychology of Love (2014), estas cinco dimensões de personalidade são: agradabilidade, conscienciosidade, extroversão, neuroti­cismo e abertura para a experiência (algumas vezes chamada de flexibilidade emocional).

Pessoas agradáveis tendem a se envolver facilmente com outros, simpáticas e interessadas que são por outras pessoas. Já aquelas que são conscienciosas tendem a ser exatamente o que elas fazem, preocupando-se com os pormenores de suas interações, além de serem motivadas para que as coisas sejam feitas no tempo correto e com pontualidade. Pessoas extrovertidas tendem a ser ansiosas para conhecer outras pessoas, sentindo-se confortáveis nas festas e happy hours, apreciando a estar junto de outras e com estes conversar. Pessoas que são neuróticas tendem a ser facilmente irritadas e incomodadas, pré-dispostas à preocupação excessiva e geralmente temperamentais. Já pessoas que são abertas à experiência tendem a ter interesse por aprender novas coisas, buscam novas experiências, além de pensarem de maneira imaginativa. Mas como isso está associado a relacionamentos amorosos? Como é esperado, agradabilidade é positivamente associada com variáveis que conduzem ao sucesso num relacionamento, tais como, satisfação e estabilidade. Todavia, pode haver um risco com essa dimensão de personalidade, ou seja, casais em que ambos os parceiros possuem altos escores em agradabilidade podem evitar conflitos, mesmo quando um conflito é necessário para resolver um problema. Consequentemente, é importante nos relacionamentos esforçar-se para alcançar a concordância e considerar as necessidades de seu parceiro, bem como, assegurar-se de que , quando houver discordâncias, estas também sejam resolvidas. Conscienciosidade também é relacionada com satisfação no relaciona­mento. Mas, em homens, a conscienciosidade pode estar associada com fracassos no relacionamento.

Mas, por que conscienciosidade pode estar relacionada tanto com o sucesso quanto com o fracasso no Amor? Porque, de um lado, pessoas que são conscienciosas são mais prováveis de prestarem atenção aos de­talhes de um relacionamento que levam a um maior sucesso do mesmo, a saber: relembrar ocasiões e datas importantes, prestar demasiada atenção às necessidades da outra pessoa e dar suporte financeiro que, se ignorado, pode levar à problemas econômicos e disputa marital. Por outro lado, pessoas que são altamente conscienciosas, estabelecem regras e padrões um para o outro, além de para si próprio, os quais, muitas vezes, são difí­ceis de serem encontradas. Pessoas conscienciosas podem esperar muito mais um do outro do que este outro deseja dar, podendo ficar insatisfeitas se suas altas expectativas não venham a ser alcançadas.

Extroversão também é associada, no geral, à satisfação no relaciona­mento. Mas há também indicadores de que ela pode estar associada com menor satisfação entre os homens. Dito de outra forma, sendo um extro­vertido, tal como conscienciosidade, o casal pode ser uma benção mista: de um lado, duas pessoas extrovertidas são mais prováveis de alcançarem um ao outro e buscarem companhia, incluindo o outro. Por outro lado, alguém que é altamente extrovertido pode estabelecer relacionamentos externos ao casal, o que constitui um fator de risco para a infidelidade marital. A associação do neuroticismo ao sucesso no relacionamento é uniformemen­te negativa. Neuroticismo tem sido associado a amor excessivo, que não é preditor de um relacionamento bem-sucedido de longo-prazo. Pessoas que são temperamentais e emocionalmente instáveis geralmente têm maior dificuldade em todos os seus relacionamentos, não só nos seus relacionamentos íntimos.

A abertura para a experiência também tem evidências mistas. Tem sido encontrado que este traço é negativa­mente associado com o sucesso no relacionamento, bem como, com uma diminuída longevidade do mesmo. Talvez isso ocorra porque as pessoas que são abertas às experiências também o são para os relacionamentos, além de mais desejosas de experienciar relacionamentos alternativos.

Considerando em conjunto esses fatores de personalidade, podemos inferir que agradabilidade, conscienciosidade e extroversão tendem a ser associados com relacionamentos bem-sucedidos, ao passo que, abertura para experiência e neuroticismo são mais prováveis de serem negativamente conectados com sucesso de um relacionamento. Também, neuroticismo é negativamente associado com sucesso dos relacionamentos não íntimos. Não obstante, o que parece mais importante do que os próprios traços de personalidade é como eles são utilizados num dado relacionamento. Ou seja, o que leva ao sucesso em um relacionamento, pode levar ao fracasso em outro. Assim, é generoso e amoroso concluir que, acima de qualquer traço de personalidade, o que leva ao sucesso em um relacionamento é o desejo intenso de fazer este ser funcional, mesmo em face do ambiente que outros desafios que aparecem ao longo da jornada da vida.

Comentários