Os museus de Ribeirão e região

0
299
BETO BAPTISTA

Não há dúvidas sobre o papel fundamental dos museus no processo de pre­servação da memória e his­tória de um povo e o que essa história significou na construção de identida­de de uma sociedade e de onde ela vive. Ribeirão Pre­to e região são agraciados por importantes museus que cumprem esse papel. Alguns estavam fechados por conta da pandemia de covid-19, outros por pro­blemas estruturais e pas­sam por reformas e alguns retornaram às atividades obedecendo a critérios ri­gorosos devido ao novo coronavírus. Nesta semana os museus são abordados no especial #TribunaRibei­rão25Anos.

Museu do Café e Museu de Histórico e de Ordem Geral

Complexo está localizado o que foi no passado a casa-sede (antigo Solar Schmidt) da Fazenda Monte Alegre, dentro do Campus da USP – ALFREDO RISK

O Complexo de Museus, Museu do Café “Cel. Francisco Schmidt” e Museu Histórico e de Ordem Geral “Plínio Travassos dos Santos” abriga um dos mais importantes acervos relacionados ao café, formado por cerca de três mil objetos, dentre eles documentos históricos, fotografias, numismática, etnologia indígena, mineralo­gia, mobiliário, indumentária, além de obras de arte como pinturas e esculturas de artistas de renome.

O Museu Histórico e de Ordem Geral começou a sair do papel em 1938, por iniciativa do seu patrono Plínio Travassos dos Santos. A criação foi oficializada em julho de 1949. Em 1950, o município rece­beu por empréstimo a casa-sede (antigo Solar Schmidt) da Fazenda Monte Alegre.

Este imóvel e a área circundante foram posteriormente doados (em regime de comodato) mediante autorização legal. Em 28 de março de 1951, instalado definitivamente no antigo Solar Schmidt, o museu foi inaugurado, com as seções Artes, Etnologia Indígena, Zoologia, Geologia e Numismática.

O Museu do Café foi inaugurado em 20 de janeiro de 1955, instala­do provisoriamente, em três salas e três corpos das varandas que circundam o edifício do Museu Histórico. O prédio do Museu do Café Coronel Francisco Schmidt foi inaugurado oficialmente em 26 de janeiro de 1957, no campus da Universidade de São Paulo (USP).

Ambos estão fechados desde março de 2016, quando parte do teto do Histórico desabou. Segundo a prefeitura, está sendo realizado o projeto executivo de arquitetura e restauro do Complexo que será entregue em abril de 2021. Além disso, as obras da Casa do Colono finalizam-se em fevereiro de 2021.

O Complexo de Museus, Museu do Café “Cel. Francisco Schmidt” e Museu Histórico e de Ordem Geral “Plínio Travassos dos Santos”

Av. do Café s/nº – Campus da USP Fechado para visitação. Tel.: (16) 3633-1986; e e-mail: [email protected]

 

MARP – Museu de Arte de Ribeirão Preto

Foto histórica – Prédio da Sociedade Recreativa (em primeiro plano), atual sede do museu, em 1930 – WIKIPEDIA

O MARP – Museu de Arte de Ribeirão Preto “Pedro Manuel-Gismondi” (MARP) foi inaugurado em 1992, com o objetivo de reunir o acervo artístico pertencente à prefeitura. Desde a sua fundação, o museu encontra-se instalado no antigo edifício da Sociedade Recreativa, inaugurado em 1908, que também já serviu de sede à Câmara Muni­cipal de Ribeirão Preto.

O museu já sediou mostras importantes e desenvolveu concursos e projetos de alcance nacional, destacando-se o Salão de Arte de Ribeirão Preto (SARP). Possui um acervo artístico focado na produ­ção regional, mas abrangendo também importantes nomes da arte moderna e contemporânea brasileira. É equipado com biblioteca especializada e mantém atividades educativas e culturais. O museu também administra um segundo espaço expositivo, localizado no Centro de Convenções Ribeirão Preto, e desenvolve suas atividades em colaboração com outras instituições culturais da cidade.

O MARP está localizado na Rua Barão do Amazonas, 323, Centro, encontra-se aberto à visitação do 45° Salão de Arte de Ribeirão Preto Nacional-Contemporâneo (SARP), até 23 de janeiro.

Informações e agendamento Tel.: (16) 3635 2421; e e-mail: [email protected]

 

MIS – Museu da Imagem e do Som

Imagem de exposição: MIS está localizado no imóvel tombado da antiga Casa de Câmara e Cadeia, no Centro – ACERVO MIS

O Museu da Imagem e do Som de Ribeirão Preto “José da Silva Bue­no” (MIS RP) foi reinaugurado e seu acervo, após anos guardado em salas provisórias no prédio da Secretaria da Cultura, está disponível para visitação na nova sede, localizada no imóvel tombado da antiga Casa de Câmara e Cadeia, no Centro.

O MIS RP está localizado na Rua Cerqueira César, 371, Centro. En­contra-se aberto à visitação da exposição “MIS RP: A constituição de um acervo público e suas novas estratégias”. A visitação é gratuita e pode ser feita mediante agendamento até 26 de março.

Informações e agendamento Tel.: (16) 3635-3660, (16) 98107-6888, e e-mail [email protected]

 

Museu da Segunda Guerra Mundial

Visitantes antes do fechamento por conta da pandemia de covid-19 – DIVULGAÇÃO

O Museu da Segunda Guerra Mundial Expedicionário José Vivanco é mantido pela Associação dos Militares e Oficiais da Reserva de Ribeirão Preto e Região e resgata a história de ex-combatentes.

O Museu está localizado no Edifício 8 de Maio, na Rua Liberdade, em Ribeirão Preto, próximo aos portões do Zoológico Municipal Bosque Fábio Barreto. No segundo semestre de 2016, o acervo do local foi catalogado e foram contabilizados 427 itens em exposição e levan­tados dados, origens e a situação de conservação de cada peça.

Segundo os mantenedores do Museu, antes da pandemia as visita­ções estavam em curva de crescimento. Com a pandemia foi fechado e uma obra de ampliação foi iniciada. Não há previsão para reabertura.

Rua Liberdade, 182 – Campos Elísios, Ribeirão Preto – SP. Telefone: (16) 3636-6969

 

Casa da Memória Italiana

O grande diferencial da Casa da Memória Italiana é seu acervo composto pela estrutura arquitetônica, decorativa e mobiliária original da década de 1920 – DIVULGAÇÃO

O Instituto Casa da Memória Italiana é uma entidade privada, sem fins lucrativos, fundada em 2013, que objetiva a promoção e pre­servação da história da imigração italiana, com ênfase na região de Ribeirão Preto, por meio da realização de atividades museológicas especialmente voltadas para os espaços da Casa sede.

Em setembro de 2014, o imóvel localizado na Rua Tibiriçá nº 776, foi doado por meio de uma vontade entre. Edilah de Faria Lacerda Biagi, Maurílio Biagi Filho e Weimar Marchesi de Amorim ao Instituto Casa da Memória Italiana, instituição fundada com objetivo de levar adiante o projeto de implantação do Museu.

Desde 2014 são realizadas atividades de preservação do acervo, de pesquisa sobre a edificação e os moradores, de visitas mediadas, exposição de arte contemporânea, oficinas, Concerto de Natal e entre outras ações. O Instituto prioriza suas ações ao redor da preservação e difusão da memória italiana e da edificação e todo seu acervo.

O grande diferencial da Casa da Memória Italiana é seu acervo com­posto pela estrutura arquitetônica, decorativa e mobiliária original da década de 1920. A preservação desse patrimônio foi possível pela constante manutenção e cuidado que os seus moradores tiveram ao utilizarem como sua residência até o ano de 2012.

As visitas presenciais à Casa da Memória Italiana reiniciaram neste sábado, dia16 de janeiro. A visitação acontece por meio de agen­damento prévio no site. Em caso de dúvida entre em contato (16) 3904-2750 ou [email protected]

 

Museu Casa de Portinari

Antiga residência de Candido Portinari, em Brodowski – DIVULGAÇÃO

Antiga residência de Candido Portinari, em Brodowski, o Museu Casa de Portinari representa a forte ligação do artista com sua terra natal, origens e laços familiares. É o local onde ele realizou suas experiên­cias com pinturas murais e se aprofundou na técnica ao passar dos anos.

Devido às várias obras em pintura mural nas paredes da casa e em uma capela nos jardins da residência, a preservação do conjunto tornou-se imprescindível.

Com esforços da família do artista, do município e do Estado, o mu­seu, após tombamento, foi instalado e inaugurado em 14 de março de 1970. O complexo é constituído por uma casa principal, e anexos construídos em sucessivas ampliações. A simplicidade típica do interior é a maior característica do museu.

Toda a agenda do Museu Casa de Portinari está disponível pelas redes sociais (Facebook, Twitter, Instagram e TikTok) @museucasa­deportinari. Mais informações pelo site: www.museucasadeportinari. org.br

 

Museu da Cana

Museu tem como objetivo resgatar a memória industrial da cana-de-açúcar – TANIA REGISTRO

Localizado em Pontal, o antigo Engenho Central – construído no início do século XX e preservado em seu conjunto edificação/equi­pamentos/maquinários – acolhe o Museu da Cana. Sonho antigo da família Biagi, o Museu tem como objetivo resgatar a memória indus­trial da cana-de-açúcar que influenciou a história da nossa região e o desenvolvimento do Brasil.

O visitante encontra no local a imponente edificação, construída com arquitetura no estilo industrial britânico daquele período, com galpões amplos, tijolos aparentes e ornatos simples, preservada para abrigar o Museu da Cana.

O grande diferencial do Museu da Cana é seu acervo composto de moderna maquinaria escocesa de fim dos anos de 1880: moenda a vapor, cozedores, cristalizadores e ensacadores, trazidos da Europa para o Brasil ainda na época da monarquia e até hoje preservados em suas posições originais dentro da linha de produção do Engenho.

Outros objetos de relevância histórica são as antigas semeadeiras, bombas de abastecimento, barris para beneficiar e purificar o açúcar, recipientes para o transporte de aguardente até o Porto de Santos, o carimbo que identificava as sacas de açúcar com a marca do Enge­nho, o maquinário das oficinas de manutenção e até mesmo o velho relógio que ficava no ponto mais alto da torre da usina.

O acervo também conta com objetos que a família Biagi arrematou de engenhos localizados na região nordeste do país, datados do século XVI período que representa os primórdios da produção de açúcar no Brasil.

Mais informações www.museudacana.org.br/ (16) 3497-5008 – Pontal (16) 99740-5008 – WhatsApp

Apoio: