Pandemia provoca queda de passageiros e viagens

0
24
ALFREDO RISK/ARQUIVO

Entre janeiro e junho deste ano, a Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp) re­gistrou queda de 52,47% no nú­mero de passageiros e de 46,64% nas viagens realizadas no ser­viço rodoviário regulado pela agência, em comparação com o mesmo período do ano passado.

Isso porque, alinhada com as determinações do gover­no de São Paulo, da Secretaria Estadual de Saúde e do Minis­tério da Saúde, a Arstep elabo­rou um comunicado contendo orientações para o período da pandemia de coronavírus, como forma de incentivar as pessoas a ficarem em casa.

De março a junho houve uma redução significativa de­vido ao isolamento social. O número de passageiros nesses meses sofreu decréscimo de 78,83%. A queda mais relevan­te foi em junho, quando foram transportados 100.070 passagei­ros frente a 3.348.634 passagei­ros no mesmo período de 2019. A redução foi de aproximada­mente 97,1%.

No mês de maio, foram transportados 3.470.254 pas­sageiros em 2019 diante de 461.164 em 2020. Em abril de 2019, 3.594.178 passageiros fo­ram transportados diante dos 375.574 no mesmo período de 2020. No mês de março de 2019, o número era de 3.709.954 pas­sageiros, no mesmo período deste ano, caiu para 2.052.751.

O mesmo cenário ocorreu com as viagens. Nos meses afe­tados pela pandemia (março a junho) a queda foi de 64,07% em relação a 2019. A maior re­dução foi registrada em junho. No ano passado, foram 134.354 viagens e, em 2020, o número caiu para 9.322 viagens. A re­dução atingiu 93,1%.

No mês de maio de 2019 fo­ram realizadas 140.530 viagens e, em 2020, 46.657. Em abril do ano passado, as viagens che­garam a 138.561 e, neste ano, ficou em 43.976. Em março de 2019 foram realizadas 145.349, enquanto em 2020 o número ficou em 100.859.

Recomendações
A Artesp mantém a rotina de fiscalizações para orientar empresas e passageiros na cor­reta higienização dos veículos, obrigatoriedade do uso das máscaras por parte dos funcio­nários e dos passageiros e reco­mendação do uso do álcool em gel. Além desses cuidados, é re­comendado aos usuários man­ter a comunicação estritamente necessária durante a viagem, como forma de minimização da exposição e transmissão por meio de aerossóis e gotículas expelidas ao falar.

Em relação aos assentos, as empresas que operam linhas rodoviárias podem vender bi­lhetes de passagem conforme a capacidade de poltronas dispo­níveis. Elas devem manter sua frota em funcionamento em até um terço dos horários efetivos estabelecidos em tabela de li­nha aprovada pela Artesp e, de­pendendo da demanda, podem ampliar ou diminuir a porcen­tagem da frota mediante autori­zação expressa da agência.

“Desde o início da pandemia a Artesp vem adotando me­didas para alertar a população para a importância de não fazer viagens e ficar em casa. É uma maneira de garantir o bem-es­tar e preservar a saúde de todos diante do cenário que estamos vivendo por causa da covid-19”, explica Milton Persoli, diretor geral da Artesp.

Comentários