Pandemia reduz perda de documentos em 47%

0
26
MARCELLO CASAL JR./AG.BR.

O número de documen­tos perdidos e extraviados nas ruas brasileiras caiu 47% em 2020, revela levantamen­to divulgado pelos Correios. Segundo a empresa, que mantém há mais de 30 anos o serviço Achados e Perdidos, as agências receberam pou­co mais de 90 mil documen­tos no ano passado, bastante abaixo da média histórica de 170 mil por ano.

A diferença, informaram os Correios, deve-se à pande­mia do novo coronavírus, que reduziu a circulação de pesso­as pelas ruas desde março do ano passado. Os documentos perdidos ou extraviados en­contrados por transeuntes ou por serviços de limpeza ficam guardados nas unidades dos Correios por 60 dias corridos. Caso não sejam pegos pelos donos, são devolvidos aos ór­gãos emissores.

Para facilitar a busca, o site dos Correios (www.cor­reios.com.br) permite veri­ficar se o documento perdi­do foi encontrado e em qual agência pode ser retirado. Os documentos encontrados po­dem ser entregues em qual­quer unidade dos Correios ou depositados em caixas de coleta de correspondências. Uma vez recebidos, eles são acondicionados em envelo­pes e guardados.

Para recuperar o docu­mento perdido, o cidadão deve apresentar outro que comprove a titularidade e pagar a tarifa de R$ 5,95. Pertences sob a guarda dos Correios só poderão ser en­tregues aos proprietários ou seus representantes legais, devidamente reconhecidos. Caso seja constatado que o documento perdido esteja numa cidade diferente da qual o proprietário se encon­tra, é possível pedir o envio a uma agência mais próxima.