30.6 C
Ribeirão Preto
13 de agosto de 2022 | 14:47
Jornal Tribuna Ribeirão
DIVULGAÇÃO
Turismo

PARQUE NACIONAL DA SERRA DA CAPIVARA – Uma joia no Piauí

O Parque Nacional da Serra da Capivara, criado em 1979, fica no sudeste do Piauí, ocupando parte dos municípios de São Rai­mundo Nonato, São João do Piauí, Canto do Buriti, Brejo do Piauí e Coronel José Dias. É considerado o maior e mais antigo território com concen­tração de sítios pré-históricos da América. Estudos científi­cos confirmam que a cadeia montanhosa de Capivara era densamente povoada na era pré-colombiana.

Lá existem mais de 1,3 mil registros pré-históricos da presença humana espalhados em 130 mil hectares de área. Por sua importância histórica e cultural foi classificado pela UNESCO como Patrimônio Mundial Cultural, em 1991, e tombado como Patrimô­nio Nacional pelo IPHAN (1993).

O parque foi criado atra­vés de decreto presidencial em 5 de junho de 1979, com a finalidade de proteger “um dos mais importantes exem­plares do patrimônio pré­-histórico do país”. Original­mente com 100 mil hectares, a proteção do Parque foi am­pliada em março de 1990 com a criação de Áreas de Preser­vação Permanentes de 35 mil hectares. A administração da unidade está a cargo do Ins­tituto Chico Mendes de Con­servação da Biodiversidade (ICMBIO).

Boqueirão da Pedra Furada, na Serra da Capivara

O Parque Nacional da Serra da Capivara é um local de conservação arqueológica com uma grande riqueza de vestígios que se conservaram durante milênios. O patrimô­nio cultural e os ecossistemas locais estão intimamente li­gados, pois a conservação do primeiro depende do equilí­brio desses ecossistemas. O equilíbrio entre os recursos naturais é o condicionante na conservação dos recursos cul­turais e foi o que orientou o zoneamento, a gestão e o uso do Parque pelo poder público.

É um local com vários atrativos, monumental museu a céu aberto, entre belíssimas formações rochosas, onde se encontram sítios arqueológi­cos e paleontológicos espeta­culares, que testemunham a presença de humanos e ani­mais pré-históricos. O parque nacional foi criado graças, em grande parte, ao trabalho da arqueóloga Niède Guidon, de 89 anos, que hoje dirige a Fundação Museu do Ho­mem Americano, instituição responsável pelo manejo do parque.

O maior atrativo do Parque é a densidade e diversidade de sítios arqueológicos portadores de pinturas e gravuras rupestres pré-históricas

Em reportagem do The New York Times publicada em janeiro de 2022, o Parque foi o único destino turístico brasileiro citado dentre 52 lugares no mundo para se conhecer, e ainda classificado como “imperdível” pelo jor­nal americano.

Sítios arqueológicos
Área de maior concentração de sítios pré-históricos do continente americano e Patri­mônio Cultural da Humanidade – UNESCO, além de contar com os mais antigos exemplares de arte rupestre do continente, o Parque Nacional da Serra da Capivara contém a maior quantidade de pinturas rupestres do mundo.

Estudos científicos confirmam que a Serra da Capivara foi den­samente povoada em períodos pré-históricos. Os artefatos encontrados apresentam vestí­gios do homem que podem ter 50.000 anos, os mais antigos registros na América.

Ópera da Serra da Capivara retorna com homenagem a Niéde Guidon
Após dois anos suspensa devido às restrições impostas pela pan­demia da covid-19, a Ópera da Serra da Capivara retorna em 2022 para a quarta edição. O evento, que será realizado entre os dias 26 e 30 de julho, volta a iluminar o anfiteatro da Pedra Furada, no Parque Nacional da Serra da Capivara, e a Praça do Abrigo, em São Raimun­do Nonato.

Ópera da Serra da Capivara retorna em 2022 para a quarta edição. O evento, que será realizado entre os dias 26 e 30 de julho, volta a iluminar o anfiteatro da Pedra Furada

Este ano somam-se as atrações Roberta Sá, Dona Onete, Cordel do Fogo Encantado, Cátia de França, Ostiga Júnior e o DJ Gil Preto, à programação diversa da Ópera – um espetáculo multissensorial que reúne música, dança, teatro e iluminação artística, combinados com shows de artistas brasileiros e discotecagem moderna, que conferem à noite sertaneja ritmos, tons e sotaques de diferentes lugares do Brasil.

Ato Niède Guidon
Desta vez, o ato principal das noites da Ópera trará como tema uma homenagem especial a Niède Guidon, arqueóloga franco-brasileira especializada em pré-história, uma das responsáveis pela criação do Parque Nacional da Serra da Capivara. Guidon é um dos nomes mais atuantes na conservação e na manutenção de relíquias pré-histó­ricas em solo brasileiro. Seus estudos no interior do Piauí datam desde a década de 1970, contribuindo não apenas para a criação do Parque, mas também com iniciativas educacionais e sociais para impulsionar o desenvolvimento sustentável e a melhoria da qualida­de de vida da população da região.

Mais notícias

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com