Passaredo começa a operar 26 voos em SP

0
727

A Passaredo Linhas Aére­as S/A (Voepass), em conjun­to com a MAP Linhas Aéreas, vai dar início às suas opera­ções no Aeroporto de Con­gonhas, em São Paulo, neste domingo, 27 de outubro. Os voos contemplam as cidades paulistas de Ribeirão Preto – base da empresa –, Bauru, Marília e Araçatuba e ainda Dourados (MS), Uberaba (MG) e Macaé (RJ).

A nova malha aérea, que terá 26 operações diárias to­talizando 158 voos semanais, será operada com aeronaves ATR 72–600, com capacida­de para 70 passageiros. O in­gresso das companhias Pas­saredo (Voepass) e MAP no mais cobiçado e rentável ae­roporto do Brasil marca um novo momento do grupo, de consolidação e crescimento.

“O Estado de São Paulo é o maior polo emissor de tu­rismo da América Latina e esse segmento é o que mais rapidamente gera empregos e movimenta a economia cria­tiva, são três milhões de pos­tos fixos e temporários em todo o Estado”, explica o go­vernador João Doria (PSDB).

“A definição da nossa ma­lha aérea em Congonhas foi focada no atendimento dos mercados regionais, servindo localidades carentes de servi­ços aéreos e com total auto­nomia”, diz José Luiz Felício Filho, presidente da Passare­do, que reforça ainda que o plano “São Paulo Pra Todos”, desenvolvido pelo governo paulista, em conjunto com a Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear), foi fundamental para a definição das novas rotas ligando cida­des paulistas.

Desde fevereiro, quando o governador João Doria re­duziu a alíquota do Imposto sobre Circulação de Merca­dorias e Serviçlos (ICMS) so­bre o combustível dos aviões de 25% para 12%, as compa­nhias aéreas anunciaram 503 novos voos no Estado – 478 já entraram em operação. Os voos da Passaredo e da MAP se somarão a esse total. Com isso, foi superado o compro­misso inicial do governo de criar 490 novas partidas se­manais até o fim de 2019.

Os voos da Passaredo per­mitirão uma redistribuição eficiente dos slots (pousos e decolagens) pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) permitindo aumen­to da concorrência e mais acesso ao aeroporto de Con­gonhas, além de promover melhorias no atendimento às novas localidades e maior de­senvolvimento regional.

“O ingresso das compa­nhias Passaredo e MAP em Congonhas, no momento em que o ‘São Paulo Pra Todos’ se consolida, abre um novo pa­tamar para a aviação regional brasileira”, reforça Eduardo Sa­novicz, presidente da Abear. O anúncio foi feito em setembro, após a Passaredo anunciar a aquisição de 100% do controle societário da MAP Linhas Aé­reas, em 21 de agosto.

O negócio permitiu que a companhia aérea, com sede em Ribeirão Preto, assumisse 26 dos 41 slots (autorizações para pousos e decolagens) em Congonhas que foram re­distribuídos pela Anac após a Avianca Brasil deixar de operar durante o processo de recuperação judicial. “Isto gera empregos e movimenta a economia de Ribeirão Preto e das cidades que compõem a Região Metropolitana”, expli­ca o prefeito Duarte Nogueira Júnior (PSDB), que participou da solenidade em setembro.

Das 41 autorizações para empresas que não operavam em Congonhas, 14 foram para a Passaredo e 12 para a MAP, cujas operações são restritas aos Estados do Ama­zonas e do Pará. As outras 15 ficaram com a Azul Linhas Aéreas. Segundo Eduardo Busch, CEO da Passaredo, todas as novas operações co­meçarão na mesma data de outubro. Ribeirão Preto terá o maior número de opera­ções, oito por dia (quatro idas e quatro voltas), por ser o hub da companhia área para grande parte dos destinos. As operações da MAP, nos Esta­dos do Amazonas e Pará, se­guem independentes.

“Os passageiros que já utilizam a Passaredo de voos do Centro-Oeste para Ribei­rão Preto, por exemplo, te­rão facilidade para chegar a Congonhas utilizando uma conexão”, explicou Busch. De acordo com o executivo, os investimentos na ope­ração foram pequenos “e dentro do fluxo de caixa da companhia”. Três aviões da MAP estão sendo remane­jados da Região Norte para operar em Congonhas e três outras novas aeronaves se­rão incorporadas até o final do ano, elevando a frota para 14. “Vamos gerar cerca de 180 novos empregos diretos, 100 funcionários para operar em terra e 80 tripulantes entre pilotos e comissárias”, disse.

Expansão
Com a aquisição do con­trole acionário da MAP Li­nhas Aéreas pela Voepass,as empresas passam a operar 35 destinos em todas as regiões do Brasil. “Após o início dos voos no aeroporto da capital paulista, nossa projeção para os próximos doze meses é de 1,5 milhões de passageiros”, diz o CEO da Passaredo. Tan­to a Voepass como a MAP fa­zem parte da Abear.

Com os novos destinos, a Passaredo vai dobrar de tamanho, de acordo com o executivo. Ele lembra que a companhia já foi maior no passado do que será no futu­ro. No entanto, a companhia aérea enfrentou uma crise econômica, com uma recupe­ração judicial finalizada em 2017, e foi obrigada a reduzir a malha área. “Estamos vol­tando ao tamanho de quatro anos atrás, mas não vamos ter as dores do crescimento por­que já fomos maiores do que seremos”, concluiu Busch.

Comentários