Pasta de Esportes está na mira de CPI

0
114
FOTOS: ALEXANDRE DE AZEVEDO/CCS

Através de videoconfe­rência, foi realizada nesta terça-feira, 7 de julho, a ins­talação da Comissão Parla­mentar de Inquérito para apurar eventuais irregulari­dades na gestão da Secretaria Municipal de Esportes (CPI dos Esportes).

Criada por meio de re­querimento de autoria do vereador Marco Antônio Di Bonifácio, o “Boni” (Pode­mos), a comissão tem como objetivo investigar algumas denúncias que chegaram ao Legislativo em depoimentos realizados durante outras CPIs da Câmara.

A principal delas diz res­peito a um servidor comis­sionado que, apesar de estar lotado na Secretaria Muni­cipal de Esportes (SMEW), trabalharia no Palácio Rio Branco, sede da prefeitura de Ribeirão Preto, no gabinete do prefeito Duarte Nogueira Júnior (PSDB).

Inicialmente composta por três vereadores – “Boni”, o presidente da Câmara, Lin­coln Fernandes (PDT), e Paulo Modas (PSL) –, a CPI aprovou a alteração para ampliar sua composição, incluindo Luiz Antonio França (PSB) e Or­lando Pesoti (PDT).

Na justificativa para cria­ção da CPI, “Boni” afirma que a Secretaria de Espor­tes é uma pastas com menor orçamento e muitas defici­ências estruturais. Por isso a necessidade de investigar o remanejamento de funcioná­rios para outras secretarias. Também quer investigar ou­tras questões que impediriam o correto funcionamento dos trabalhos na área.

Durante a instalação da CPI dos Esportes, ficou de­cidido que o próprio Marco Antônio Di Bonifácio ocu­pará o cargo de presidência, tendo como vice o vereador Luiz França. A relatoria será de responsabilidade de Lin­coln Fernandes. Participaram também da instalação Renato Zucoloto (PP) e Glaucia Be­renice (DEM).

A Secretaria Municipal de Esportes tem novo secretário desde 29 de maio. Marcos de Melo Pacheco, técnico do Vôlei Ribeirão, mal assumiu a pasta e já terá de enfrentar uma CPI. Ele substituiu Ricar­do Aguiar, que saiu alegando compromissos profissionais e pessoais – é técnico da sele­ção brasileira de karatê.