Peça traz cotidiano de cinco mulheres

0
20
JOÃO CALDAS

O patético inconfessável de cada um de nós, que acaba por se revelar em situações cotidia­nas de cinco mulheres: um pai em coma, o casamento de um fi­lho, uma entrevista para a TV, os abusos familiares e um cigarro que nunca acende serão levados à tona nesta sexta-feira, 8 de no­vembro, em Ribeirão Preto, com o espetáculo teatral “Ossada”, com textos de Maureen Lipman e complementos de Wislawa Szymborska e Laurie Anderson.

Os cinco mini-monólogos da atriz e escritora britânica Maureen Lipman têm em co­mum mulheres “esgarçadas” em sua existência. Figuras que desafinam diante das regras sociais e acabam vazando, dei­xando transparecer o animal “indomesticável” que habita em nós. Dos primatas ao homo sapiens, evolui a espécie, mas coloca em questão a nossa ca­pacidade de (con)viver em so­ciedade, na medida em que os tempos atuais fizeram cair as máscaras e criaram novas mati­zes para o nosso ainda primiti­vo senso de sobrevivência.

Não é à toa que palavras como “empatia” e “sororidade” passaram a frequentar as man­chetes do nosso dia a dia. O universo das mulheres retrata­das nos textos de Maureen Li­pman, atriz e escritora britânica, ganha aqui neste espetáculo a companhia de outras duas mu­lheres fundamentais: a poetisa Wislawa Szymborska, polonesa ganhadora do Nobel em 2006, e a cantora, performer e artista plástica Laurie Anderson.

A dramaturgia de “Ossada” funde os escritos dessas mulhe­res num contexto que coloca em debate a nossa trajetória en­quanto humanidade, ou melhor, a nossa capacidade em compre­ender a humanidade por um viés de fato humanístico. Tudo se potencializará no sufocamento causado por frustrações dessas mulheres “descompostas”, den­tro de um cenário minimalista e selvagem, numa instalação que nos remete a uma sala de museu de história natural.

Para emendar um monó­logo no outro, dando fluência num espetáculo de aproxima­damente 60 minutos, a equipe tem como desafio, fazer com que cada personagem, expostas que estão ao seu ridículo mais inconfessável, possam também se recompor. Trilha e luz ma­nifestam-se para que a figura inanimada da atriz projete-se de forma “espetacular”.

A criação e a direção ge­ral são de Ester Laccava, com cocriação de Mirella Brandi e Aline Santini. A encenação fica por conta de Ester Laccava. A apresentação será às 19 horas desta sexta-feira, 8 de novem­bro, no Galpão de Evento do Sesc Ribeirão Preto, que tem capacidade para receber 80 pes­soas. Fica na unidade da rua Ti­biriça nº 50, na região central de Ribeirão Preto – entre a avenida Doutor Francisco Junqueira e a rua Visconde do Rio Branco. Mais informações pelo telefone (16) 3977-4477.

O espetáculo não é recomen­dado para menores de 16 anos e não será permitida a entrada após o início. Os ingressos estão à venda online (www.sescsp.org. br) e no Sesc Ribeirão Preto. Cus­tam R$ 30 (inteira), R$ 15 (apo­sentado, pessoa com mais de 60 anos, portador de necessidades especiais, estudante e servidor da escola pública com comprovan­te) e R$ 9 (trabalhador do comér­cio de bens, serviços e turismo credenciados no Sesc e depen­dentes – credencial plena).