SABRYNA MURALI

Em comemoração aos 120 anos de nascimento do mes­tre do suspense Alfred Hitch­cock (1899-1980), o projeto “Sussurros de Cinema” levará ao Theatro Pedro II na próxi­ma terça-feira, 10 de setem­bro, às 20 horas, o espetácu­lo “The Lodger”, baseado no primeiro suspense do cine­asta britânico, “The Lodger a Story of London Fog”, de 1927, com uma trilha sonora composta por Lucas Oliveira especialmente para o espe­táculo e apresentada pelo Br Jazz Quarteto.

Os ingressos custam R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia­-entrada). Estão à venda no guichê do espaço cultural e no site www.ingressorapi­do.com.br. A meia-entrada só vale para estudantes com carteirinha da instituição de ensino, professores, supervi­sores, diretores, coordenado­res pedagógicos e titulares de quadro de apoio das escolas da rede pública (municipal e estadual) com apresentação de holerite ou documenta­ção, idosos acima de 60 anos com documento comproba­tório (cédula de identidade, RG) e portadores de defici­ência com um acompanhan­te. Crianças menores de dois anos não pagam.

Não será permitida a en­trada após o início do espe­táculo. A Fundação Pedro II também proíbe o consumo de comidas e bebidas no lo­cal. O Theatro Pedro II fica na rua Álvares Cabral nº 370, no Quarteirão Paulista, Centro Histórico de Ribeirão Preto. O local tem capacida­de para 1.588 pessoas, mas parte foi interditada por se­gurança. Atualmente conta com 1,3 mil lugares. Telefone para mais informações: (16) 3977-8111. O espetáculo não é recomendado para menores de 12 anos devido ao horário.

O espetáculo integra o projeto Amigos da Casa, da Fundação Dom Pedro II, lançado para valorizar os ar­tistas locais e democratizar o acesso à cultura, com uma proposta de formação de pú­blico para apresentações ar­tísticas nas áreas de música, teatro e dança, em um dos principais cartões-postais de Ribeirão Preto e segun­do maior teatro de ópera do Brasil, o Theatro Pedro II.

Desde que o projeto “Ami­gos da Casa” foi implantado, em 2009, o Theatro Pedro II é palco para que os artistas da cidade tenham a oportunida­de de aprimorar e desenvol­ver seus espetáculos, promo­vendo a arte e a cultura junto à comunidade com o objetivo de democratizar o acesso e formação de plateia.

Sobre o filme
Baseado no roman­ce “The Lodger”, de Marie Belloc Lowndes, o filme conta sobre um serial killer que inicia uma série de as­sassinatos em Londres, ten­do como elemento comum o fato de sua vítimas serem todas mulheres loiras. Um novo hóspede, Jonathan Drew, chega ao hotel do ca­sal Bounting, em Blooms­bury, e aluga um quarto.

O homem tem estranhos hábitos, como o de sair em noites nevoentas. Ele tam­bém guarda a foto de uma moça loira em seu quarto. Daisy, a filha dos Bouting, também é loira, é modelo e está noiva de Joe Chandler, um detetive. Incomodado com a presença de Jonathan, Joe o prende, acusando-o de ser o terrível assassino.

Sobre o diretor
Nascido em Londres em 13 de agosto de 1899, Hitch­cock foi um diretor e produ­tor britânico. Considerado o maior e um dos mais in­fluentes cineastas da história do cinema e conhecido como “o Mestre do Suspense”, ele dirigiu 53 longas-metragens ao longo de seis décadas de carreira.

Sobre a banda BR Jazz
O grupo Br Jazz tem como principal característica a in­fluência do Jazz e de ritmos brasileiros, com arranjos e composições autorais. O ter­ritório brasileiro pulsa de Norte a Sul numa infinidade de ritmos diferentes. Usando a voz, os instrumentos e sua liberdade criadora, o Quar­teto constrói poli-harmonias e polirritimias ornamentadas na busca de diferentes possi­bilidades e texturas musicais.

Esta dinâmica de “Jazz Brasileiro” emerge muito mais das relações de seme­lhança entre os músicos do que de uma definição pre­cisa. O Quarteto incorpora a riqueza extraordinária da matriz rítmica brasileira em suas composições e experi­mentações, de modo que, despidos de preconceitos rít­micos, resgata valores da tra­dição popular brasileira e do jazz. O projeto “Sussurros de Cinema” visa divulgar o cine­ma mudo mundial através da exibição de filmes silenciosos apresentados com trilhas so­noras ao vivo.

Comentários