Diante da impossibilida­de de cair na estrada com sua banda Jota Quest durante a pandemia, o baixista PJ, consi­derado um dos melhores mú­sicos do Brasil, não se deixou abater e decidiu empreender em algo diferente. Ele desen­gavetou uma ideia que estava guardada há tempos: criar uma empresa de merchandi­sing de artistas nacionais.

A iniciativa promete agi­tar o mercado musical, visto que esse é um setor pouco explorado no Brasil, diferente do que acontece nos Estados Unidos e Europa. “Eu sempre gostei de vestir camisetas de banda. Nós, do Jota Quest, estávamos buscando marcas nacionais para desenvolver o merchandising da banda e não encontramos a qualidade que queríamos”, diz.

“Notei que havia uma grande carência nessa área e achei que era hora de agir. Procurei um amigo que já atuava nesse ramo, o Robert­son Rocha, e montamos a Paranoid Music Store. Nosso objetivo é oferecer produtos premium para atender a de­manda tanto de artistas, que estão atrás de parceria, quan­to do público consumidor”, conta PJ.

Depois de fechar licen­ciamento com mais de 30 ar­tistas, entre eles Nando Reis, Paralamas do Sucesso, Car­linhos Brown, Raimundos, Pepeu Gomes, Black Pante­ra, Kiko Loureiro e Samuel Rosa, a empresa lançou na segunda-feira, 10 de maio, a primeira coleção. As T-shirts, com estampas inéditas e ex­clusivas, já estão disponíveis através do site da Paranoid Music Store.