Foto: Rede Social

Na delegacia da cidade quando soube que a vítima era portadora do vírus HIV, o indiciado pediu para fazer tratamento com coquetel anti-aids

O delegado da Polícia Civil de Serrana, José Augusto Franzini da Silva, pediu nesta segunda-feira (25), a prisão temporária de Vitor Augusto Dutra da Silva, 20, investigado por agressões infligidas na catadora de recicláveis, T.A.S, 32, na madrugada da última quarta-feira (20).
O ataque violento foi registrado por câmeras de segurança de imóveis nas imediações.

Segundo o delegado, o indiciado teria confessado a agressão e estupro da vítima, após ser informado que a mulher é portadora do vírus HIV.
Pediu, logo que soube, para receber tratamento antiviral na rede pública de Saúde.

Franzini disse que o investigado em confissão relatou ” que bateu, arrastou e estuprou a mulher. Falou que bebeu e perdeu a cabeça. Ele não a conhecia”, comentou.

Vitor Augusto Dutra da Silva já foi condenado por furto.
Ele foi levado para a delegacia de Polícia Civil de Serrana na noite de domingo (24), depois que policiais militares souberam do risco iminente de linchamento se continuasse solto.

O pedido de prisão temporária de 30 dias foi encaminhado ao Fórum da Comarca e, na tarde desta segunda-feira (25), o indiciado foi trazido para Ribeirão Preto, onde fez exame de corpo de delito.

Comentários