Polícia faz buscas no Barcelona e prende ex-presidente Bartomeu

0
26
AFP

O Barcelona foi surpre­endido nesta segunda-feira por uma operação policial de busca e apreensão em seu estádio e escritório. A polí­cia confirmou que fez de­tenções, mas não informou o nome dos envolvidos. O episódio tem relação com o chamado “Barçagate”, in­vestigação de dirigentes do tradicional clube espanhol.

De acordo com a rádio Cadena Ser, um dos detidos foi o ex-presidente Josep Maria Bartomeu, que re­nunciou ao cargo em outu­bro devido às investigações. Também teriam sido presos Òscar Grau, atual diretor geral do clube, Román Gó­mez, diretor do departa­mento jurídico. A polícia não confirmou os nomes.

O centro das investiga­ções é a contratação por Bartomeu de uma consulto­ria especializada em prote­ção de imagem e dados e re­des sociais. O ex-presidente teria contratado a empre­sa em nome do clube para cuidar da sua reputação. E, segundo a acusação, teria usado também para difamar rivais políticos e até jogado­res, inclusive com a criação de perfis falsos nas redes sociais. Alguns dos alvos teriam sido jogadores como Lionel Messi e Gerard Piqué e o ex-treinador da equipe Josep Guardiola.

A busca acontece às vés­peras de uma nova eleição presidencial no Barça, mar­cada para o próximo domin­go. “O que aconteceu hoje foi consequência de uma péssima gestão no clube na última administração”, disse Joan Laporta, um dos três candidatos do pleito, em en­trevista à Lleida Radio. Ele considerou a prisão de Bar­tomeu “chocante” e “nada boa” para o clube. E disse que o ex-presidente precisa contar com a “presunção de inocência”.

A direção do Barcelona já negou diversas vezes tanto a contratação da consultoria quanto o suposto pagamento a mais, para difamar rivais. De acordo com as autorida­des, a operação foi realizada pelo departamento de cri­mes financeiros da polícia.

Bartomeu e os demais membros da sua diretoria renunciaram no ano pas­sado em meio às consequ­ências da polêmica envol­vendo Messi, que chegou a cogitar deixar o clube em razão dos atritos com o en­tão presidente. O episódio foi apenas um dos que tu­multuam os bastidores po­líticos do Barça, além das dificuldades financeiras causadas pela pandemia.

O clube é administrado por um conselho interino desde que Bartomeu saiu em outubro enquanto enfren­ta uma moção de censura apoiada por milhares de só­cios do clube, irritados com o mau desempenho da equi­pe e sua situação financeira.