Ponte entre Brasil e Paraguai é reaberta

0
18
DIVULGAÇÃO/DNIT

A Ponte da Amizade, prin­cipal ligação entre Brasil e Paraguai, foi reaberta nesta quinta-feira, 15 de outubro. A travessia entre Foz do Iguaçu, no Paraná, e Ciudad del Este, no país vizinho, estava bloque­ada havia sete meses, desde o dia 18 de março em razão das medidas para enfrentamento da pandemia de covid-19. A li­beração foi destacada pelo pre­sidente Jair Bolsonaro em suas redes sociais.

Enquanto a portaria brasi­leira permite a entrada de pe­destres em qualquer horário, o Paraguai adotou protocolo com restrições. Estrangeiros só podem ingressar no país de carro, moto ou van das cinco às 14 horas e o retorno está liberado até a zero hora. A suspensão do bloqueio foi marcado pela expectativa de comerciantes e taxistas, mas o movimento foi bem abaixo do normal.

A circulação no Paraguai está permitida até 30 quilôme­tros da aduana e a permanên­cia no país é de, no máximo, 24 horas. Barreiras sanitárias foram montadas para o con­trole. O protocolo do governo paraguaio é válido por 15 dias. Apesar da portaria do país vi­zinho exigir testes de covid-19 para quem não reside em Foz de Iguaçu, na prática, pelo me­nos ontem, não ocorreu con­trole A única exigência para quem ingressou de carro ou moto foi o uso de máscara.

Não foram os moradores que comemoram a reaber­tura. Trabalhadores que de­pendem da movimentação comercial entre Foz e Ciudad del Este voltaram a ver de volta os clientes. O comércio paraguaio estava de portas abertas, mas o número de tu­ristas foi pequeno. A esperan­ça de trabalhadores e comer­ciantes é de que nos próximos dias o movimento seja maior. O fluxo de veículos no senti­do Brasil-Paraguai também foi tranquilo neste primeiro dia e bem abaixo do normal. No lado brasileiro, não havia filas ou congestionamentos.

Foz do Iguaçu reforçou sis­tema hospitalar e espera receber paraguaios em busca de atendi­mento. A fronteira entre Foz e Ciudad del Este é considerada umas das mais movimentadas do Brasil. Estimativa da Recei­ta Federal, com base de dados registrados antes da pandemia, indica que pela Ponte da Ami­zade circulam cerca de 100 mil pessoas e 40 mil veículos ao dia, nos dois sentidos.

Para garantir a retaguarda hospitalar, a prefeitura de Foz pediu ao Ministério da Saúde a instalação de mais 70 leitos de Unidade de Terapia Inten­siva (UTI) para o tratamento de pacientes com covid-19. A expectativa é que paraguaios e brasileiros que vivem no país vizinho passem a procu­rar o sistema de saúde de Foz. Hoje, a cidade tem 75 leitos. A Ponte Tancredo Neves, en­tre Foz e Puerto Iguazú, Ar­gentina, continua com trânsi­to interrompido.

Em portaria publicada na quarta-feira (14) em edição ex­tra do Diário Oficial da União, o governo federal autorizou a entrada de estrangeiros pelas vias terrestres entre o Brasil e o Paraguai, “desde que obedeci­dos os requisitos migratórios adequados à sua condição, inclusive o de portar visto de entrada, quando este for exi­gido pelo ordenamento jurí­dico brasileiro”.

A nova portaria prorroga por mais 30 dias a restrição de entrada, no Brasil, de es­trangeiros “por rodovias, por outros meios terrestres ou por transporte aquaviário”, em razão da pandemia da covid-19. A entrada de es­trangeiros por via aérea, por qualquer aeroporto do país, está liberada desde o dia 25 de setembro e, na semana passada, o governo flexibili­zou ainda mais o trânsito por aéreo, retirando exigências.

Comentários