Por falta de repasse, Comercial encerra parceria com a D Sports

0
254
Foto: JF Pimenta/Jornal Tribuna

Chegou ao fim a parceria entre Comercial Futebol Clube e a D Sports, empresa de São Bernardo do Campo, capitaneada por Walter Gama e Ruddy Flores. Firmada há pouco mais de dois meses, a parceria previa um repasse mensal ao clube, que não foi feito no mês de novembro. Por este motivo, Ademir Chiari, presidente do Leão do Norte, resolveu encerrar o negócio.

De acordo com David Isaac, vice-presidente do Leão do Norte, a D Sports acertou o repasse de R$ 100 mil mensais ao Comercial. Os depósitos foram feitos nos meses de setembro e outubro. A empresa também disponibilizou R$ 30 mil para o pagamento de “bicho” durante a disputa da Série A3.

“Eles investiram 230 mil reais no Comercial. 100 mil em setembro e mais 100 mil em outubro. Eles também ofereceram 30 mil reais para o pagamento do bicho. Durante esse período foi um dinheiro bastante importante para a nossa sobrevivência”, afirmou Isaac em entrevista ao Tribuna.

Oficialmente a parceria nem chegou a sair do papel. Segundo Isaac, o Conselho Deliberativo do Comercial fez algumas alterações no contrato proposto pela D Sports, que posteriormente não foi assinado pela empresa. Entretanto, para Isaac, mesmo sem a assinatura, os parceiros demonstraram interesse em seguir com o negócio porque fizeram os repasses das verbas.

Parceria foi apresentada com muita empolgação aos jogadores do Leão do Norte Foto: Divulgação/Comercial FC

“O contrato, de fato, não foi formalmente assinado porque nós fizemos algumas alterações e o contrato foi para eles e não voltou assinado. Mas eles demonstraram vontade, depositaram os valores nos meses de setembro e outubro e esse mês não fizeram o depósito”, disse.

“Eles nos depositaram os valores, então para nós a parceria estava funcionando. Como este mês eles não fizeram os depósitos e não nos retornaram, o presidente optou por encerrar a parceria”, concluiu.

Neste período, o Leão do Norte bateu na trave em relação ao acesso para a Série A2 – acabou sendo eliminado pelo E.C São Bernardo nas semifinais da competição. Para Isaac, o fato de o Leão do Norte não ter subido pode ter influenciado na decisão do grupo.

“Não existia essa previsão de que o time precisava subir para a A2 para eles continuarem. O contrato era de apenas dois anos para que não houvesse travas para ambos os lados em caso de rompimento. Não sei se eles tinham essa expectativa em relação ao acesso”, afirmou Isaac.

Para selar, de fato, o fim da parceria ainda é necessário que exista um acordo entre as partes. O contrato, mesmo sem ter sido assinado, possuía uma multa em caso de rescisão.

“É uma multa simbólica, pequena e que corresponde ao investimento de dois meses. Nossa relação com a empresa é boa e nós não queremos tumulto. Vamos discutir com eles quais são os melhores caminhos”, finalizou.

Uma das propostas da D Sports na parceria era o arrendamento de um centro de treinamento. O Comercial até chegou a fazer treinos em um dos CT´s oferecidos pela parceria. Entretanto, com o fim do negócio, o Leão do Norte deve voltar a usar o Palma Travassos e campos da região para treinamento.

 

Comentários