Jornal Tribuna Ribeirão

Preços recuam nas bombas, aponta ANP

Segundo o levantamento semanal da Agência Nacio­nal do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), os valores médios dos combus­tíveis recuaram nos mais de 200 postos de Ribeirão Preto. De acordo com a pesquisa re­alizada entre 14 e 20 de no­vembro, o litro do etanol está beirando a casa de R$ 5,20, mas desta vez não bateu novo recorde. A gasolina segue aci­ma de R$ 6,40.

O preço médio cobrado pelo litro do álcool hidratado recuou de R$ 5,199 – o maior valor da história desde que a agência passou a pesquisar preços no município – para R$ 5,179, queda de 0,4%. O preço do litro da gasolina agora custa, em média, R$ 6,439, baixa de 0,3% em relação aos R$ 6,458 cobrados anteriormente – lem­brando que este é o preço mé­dio, ou seja, tem posto cobran­do muito mais pelo produto.

A paridade entre os deri­vados de cana-de-açúcar e de petróleo continua acima do limite. Agora está em 80,4% depois de chegar a 80,5% no dia 13, ante 80% do dia 6. Nos últimos doze meses, até outubro, segundo o Ín­dice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), divulgado pelo Instituto Bra­sileiro de Geografia e Estatís­tica (IBGE), o preço da gaso­lina avançou 42,72% no país. O etanol acumula 51,25% no mesmo período, ante 36,32% do diesel.

No dia 26 de outubro, o litro da gasolina vendido pela Petrobras às distribuidoras passou de R$ 2,98 para R$ 3,19, o que representa um au­mento de R$ 0,21 ou de cer­ca de 7%. Já o litro do diesel subiu para R$ 3,34 nas refina­rias, o que significa reajuste de 9% sobre o preço médio de R$ 3,06, com impacto de R$ 0,24.

Os preços dos combustíveis permanecem estáveis nas bom­bas de Ribeirão Preto. Ainda tem posto bandeirado cobran­do R$ 6,70 (R$ 6,697) pelo litro da gasolina. O etanol custa R$ 5,50 (R$ 5,597). Em cerca de dez dias, a gasolina acumula reajuste de 5,3% e o álcool com­bustível, de 11,9% na cidade.

Nos sem-bandeira, a mé­dia para a gasolina saltou de R$ 6,20 (R$ 6,199) para R$ 6,40 (R$ 6,399), aumento de 3,2% e acréscimo de R$ 0,20. O litro do etanol chega a R$ 5,10 (R$ 5,099), alta de 4,1% e R$ 0,20 a mais do que os R$ 4,90 (R$ 4,897) anteriores.

O consumidor deve pes­quisar porque há variação para mais e para menos tanto nos bandeirados quanto nos independentes. Com base nos valores de R$ 5,50 para o deri­vado da cana e de R$ 6,70 para o do petróleo, a paridade está em 82,1%, recorde histórico, e não é vantajoso abastecer com álcool, já que o limite é de 70%.

Etanol recua nas usinas
Nas usinas paulistas, o ál­cool combustível registrou queda pela segunda semana seguida. Mas o valor do hidra­tado segue acima de R$ 3,65, depois de encostar em R$ 3,90. Baixou de R$ 3,8099 para R$ 3,6591, recuo de 4,03%. Em cerca de 60 dias, o avanço ain­da chega a 11,03%.

O preço do anidro – adi­cionado à gasolina em até 27% – caiu 1,30% e agora está abaixo de R$ 4,40. Re­cuou de R$ 4,4299 para R$ 4,3723. Acumula alta de 14,19% em 50 dias. Os da­dos foram divulgados na sexta-feira (19) pelo Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea) da Escola Superior de Agri­cultura Luiz de Queiroz da Universidade de São Paulo (Esalq/USP).

Deixe o seu comentário:

Mais notícias

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com