25 C
Ribeirão Preto
26 de junho de 2022 | 20:14
Jornal Tribuna Ribeirão
Procurador agiu com extrema violência (Foto: Reprodução)

Procuradora é agredida por subordinado em SP

A procuradora-geral de Registro, no Vale do Ribeira, a 190 quilômetros de São Paulo, Gabriela Samadello Monteiro de Barros, foi brutalmente agredida pelo colega de trabalho, o também procurador municipal Demétrius Oliveira de Macedo, dentro da prefeitura. As agressões ocorreram na segunda-feira, 20 de junho, e foram registradas em vídeo.

Após derrubar Gabriela Samadello Monteiro de Barros, o procurador Demétrius Oliveira de Macedo dá socos e pontapés na colega, a quem é subordinado. Também a chama de “vagabunda” e “puta”. Outras duas servidoras tentam contê-lo. Uma delas é empurrada com violência contra uma porta fechada. A outra arrasta a mulher para tentar afastá-la do agressor.

O procurador só foi contido após a intervenção de outros funcionários que ouviram os gritos de socorro. O caso foi registrado como lesão corporal na Delegacia de Defesa da Mulher de Registro. A prefeitura divulgou uma nota de repúdio e disse que o procurador foi suspenso. “Reafirmamos nosso compromisso com a prevenção e enfrentamento a todas as formas de violência, principalmente aquelas que vitimizam mulheres”, diz um trecho da manifestação.

A procuradora geral Gabriela Samadello Monteiro de Barros, após ser agredida pelo subordinado (Foto: Reprodução)

Em entrevista à TV Tribuna, filiada da TV Globo, Gabriela Samadello Monteiro de Barros disse que as agressões aconteceram depois que ela pediu a abertura de um processo disciplinar contra o procurador por maus tratos a outra funcionária. “Foi exposta a minha dignidade como mulher, fui desrespeitada com servidora pública”, afirmou.

Em nota, a prefeitura de Registro “manifesta o mais absoluto e profundo repudio aos brutais atos de violência realizados pelo procurador municipal contra a servidora municipal mulher que exerce a função de procuradora-geral do Município, fatos ocorridos na última segunda-feira (20). Que a vítima e sua família recebam toda nossa solidariedade, apoio e cada palavra de conforto e acolhimento”.

Cita ainda que “a administração municipal está tomando as providências necessárias e já determinou de imediato que o agressor seja suspenso, nos termos do art. 179, c/c inc. III do art. 180, ambos da Lei Complementar nº 034/2008 – Estatuto dos Servidores Públicos do Município de Registro, com prejuízo de seus vencimentos, a partir de 21 de junho.

E continua: “Reafirmamos nosso compromisso com a prevenção e enfrentamento a todas as formas de violência, principalmente aquelas que vitimizam mulheres. Os servidores da Procuradoria Geral Municipal e da Secretaria de Negócios Jurídicos receberão todo apoio necessário, inclusive acompanhamento psicológico.”

Por fim, diz que “aos demais servidores desta municipalidade recebam nosso amparo e saibam que a prática de violência é veementemente repudiada e será severamente punida pela administração municipal”. O procurador Demétrius Oliveira de Macedo ainda não se manifestou.
Por: Agência Estado

Mais notícias

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
AllEscort